Violência

Ladrões de caixa eletrônico são mortos em confronto com o Bope

Segundo a PM, trio já estava com explosivos em um carro preparando um novo ataque em Goiânia




Três jovens que segundo a Polícia Militar seriam os responsáveis por ataques a caixas eletrônicos em Goiânia foram mortos essa madrugada em confronto com agentes do Batalhão de Operações Especiais — Bope.

Com o trio, que na semana passada teria explodido o caixa eletrônico do Banco do Brasil da Praça Tamandaré, os policiais encontraram armas de grosso calibre, coletes balísticos e dois explosivos.

Wilke Alef da Silva, de 22 anos, Cláudio Junio Barbosa de Oliveira, de 21 anos, e Johnnathan Pereira da Silva, de 28 anos, o “queixão” foram abordados em um apartamento no Residencial Hayvard na Vila Aurora em Goiânia.

Após entrarem no condomínio, segundo o Comandante de Missões Especiais da PM, tenente coronel Pedro Castelões, os militares do Bope foram recebidos a tiros, revidaram e feriram mortalmente os três suspeitos. “Nós já sabíamos que eles estavam bem armados, e quando a equipe arrombou a porta foi  recebida com uma rajada de pistola, não deixando outra alternativa aos policiais a não ser reagir à altura”, destacou Castelões.

Com os suspeitos, os policiais encontraram um revólver calibre 38, munições de calibre 12, uma pistola calibre 380 e outra pistola calibre Nove milímetros com kit rajada além de vários carregadores.
O trio, ainda de acordo com a PM, tinha dois carros, sendo que dentro de um deles foram encontradas duas bananas de dinamite já prontas para serem usadas. A suspeita é que eles explodiriam caixas eletrônicos nesta madrugada na Capital.

De acordo com o subcomandante geral da PM, coronel Carlos Antônio Borges, há informações de que o trio, além de explodir o caixa eletrônico do BB da Tamandaré na quinta-feira da semana passada, agiram também no Banco do Brasil da Avenida T-7 e em uma outra agência em Trindade.

“Nós sabemos que há mais integrantes desse bando e que outras quadrilhas também estão nas ruas, mas essa operação mostra que estamos atentos e não vamos tolerar esse tipo de delito que tanta preocupação traz à sociedade”, afirmou o coronel.

O líder da quadrilha, segundo a PM, é Johnnathan, que estaria se especializando no manuseio de explosivos. Ele é Wilke já possuíam inúmeras passagens criminais.