Laboratório de Anápolis é proibido de fabricar ivermectina e outros remédios

Fármacos foram recolhidos e não podem ser vendidos pela indústria. Anvisa disse que há problemas relacionados à produção dos medicamentos no local

Ivermectina é para gado e não deve ser usada contra a Covid, diz agência dos EUA (Foto: reprodução)

O laboratório Vitamedic, localizado em Anápolis, foi proibido de fabricar, distribuir e vender ivermectina e diversos outros remédios. A determinação consta em resolução publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na quinta-feira (29). Uma série de outras resoluções com proibições semelhantes foram publicadas no início de abril. A indústria farmacêutica também já foi alvo de diligência fiscalizatória da Polícia Civil por indícios de crime contra as relações de consumo e descumprimento de normas sanitárias.

Nas últimas resoluções publicadas contra o laboratório (confira documento abaixo), a Anvisa determinou o recolhimento dos medicamentos, bem como a suspensão do comércio, distribuição e uso dos produtos. Entre os remédios estão a ivermectina, fármaco utilizado para tratar infecções causadas por vermes e parasitas, mas que ganhou notoriedade ao ter o uso relacionado ao tratamento da Covid-19, mesmo sem nenhuma comprovação científica que aponte eficácia.

Além do mencionado medicamento, também foram recolhidos e tiveram a fabricação suspensa: o vertizan, usado no tratamento de distúrbios circulatórios cerebrais; o nimelit, que combate inflamação, dor e febre; lorasliv, utilizado para o alívio dos sintomas associados à rinite, entre outros remédios.

Conforme a Anvisa, a indústria deixava os medicamentos em local não autorizado dentro da área fabril, além de descumprir as normas com relação à etiquetagem e revisão gerencial periódica. No documento, o órgão ressalta que o laboratório também não respeitou medidas relacionadas à questão com pessoal, instalações, equipamentos, documentação, produção, controle de qualidade e outras infrações.

Reincidente

As mencionadas proibições de fabricação e venda não foram as primeiras contra a Vitamedic. A indústria já foi alvo de ao menos outras quatro resoluções da Anvisa por apresentar problemas relacionados à produção dos medicamentos.

Em uma publicação do órgão no dia 12 de abril, a Anvisa cancelou o Certificado de Boas Práticas de Fabricação da empresa. O documento aponta o cancelamento de linhas de certificação de cremes, géis, pomadas, comprimidos, cápsulas, soluções e xaropes.

No final do mês de março, a Polícia Civil de Goiás, em ação conjunta com a Vigilância Sanitária de Goiás e Vigilância Sanitária de Anápolis, empreendeu diligência fiscalizatória no local.

A fiscalização objetivou averiguar suposto descumprimento de normas sanitárias estabelecidas por Decreto Estadual que delimitava restrições para o funcionamento de atividades empresariais, inclusive àquelas referentes aos serviços essenciais. A inspeção verificou, ainda, indícios de crime contra as relações de consumo consubstanciado em descumprimento às normas sanitárias vigentes.

O Mais Goiás procurou o laboratório para comentar o caso e aguarda retorno.

Confira as resoluções:

Resolução nº 1.387, de 6 de abril de 2021;

Resolução nº 1.388, de 6 de abril de 2021;

Resolução nº 1.442, de 8 de abril de 2021;

Resolução nº 1.722, de 28 de abril de 2021;

Resolução nº 1.723, de 29 de abril de 2021.