Kajuru diz que silêncio de Wizard na CPI da Covid causa nojo

Senador goiano disse, ainda, que oferece desprezo e indiferença ao empresário

Kajuru diz que silêncio de Wizard na CPI da Covid causa nojo
Kajuru diz que silêncio de Wizard na CPI da Covid causa nojo (Foto: Reprodução)

O senador goiano Jorge Kajuru (Podemos) disse, durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, no Senado, que a sessão desta quarta-feira (30) causou nojo em função do silêncio. Vale destacar, a oitiva desta data acontece com o empresário Carlos Wizard, que fez uso do direito de não responder perguntas que o incriminem concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Wizard decidiu ficar em silêncio após negar participação do suposto “gabinete paralelo” que orientou o presidente Bolsonaro (sem partido) no combate a pandemia da Covid-19, no discurso inicial. Ele também disse que nunca se reuniu com o gestor federal em particular e que nunca financiou a compra de medicamentos para o vírus. Isso ocorreu há mais de três horas.

Kajuru disse, ainda, o contrário do amor não é o ódio, mas o desprezo, a indiferença. “E é isso que ofereço a esse senhor [Wizard]”, declarou.

Antes, o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) provocou Wizard. segundo ele, “machões da internet” ficam calados na comissão. Diante de diversas perguntas, o empresário respondeu repetidamente: “Senhor relator, eu me reservo ao direito de ficar em silêncio.” Os senadores seguiram com as perguntas programadas.

O empresário já deveria ter deposto há algumas semanas. Contudo, ele havia deixado o Brasil, em março, e ido aos Estados Unidos.

Ironicamente, o Wizard chegou ao Senado com uma placa da passagem bíblica Isaías 41:10. “Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.”