FolhaPress

Justiça mantém transmissão de Copa do Mundo pela Globo

Fifa entrou com processo contra a emissora para cobrar um valor, mas emissora alegou problemas financeiros causados pela pandemia

Justiça mantém transmissão de Copa do Mundo pela Globo
Justiça mantém transmissão de Copa do Mundo pela Globo (Foto: EADBOX)

A 6ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro arquivou, no início desta semana, o processo em que Globo e Fifa brigavam por causa do não pagamento de 90 milhões de dólares (R$ 494 milhões na cotação atual) da parcela de 2020 do contrato de direitos de transmissão de eventos da entidade entre 2015 e 2022. A Globo entrou com liminar para não pagar o valor em junho do ano passado por causa da crise econômica provocada pela pandemia de covid-19.

Com o arquivamento, a emissora continuará a ter o direito de exibir eventos esportivos da entidade, como a Copa do Mundo do Qatar, que acontece no fim de 2022. O Mundial de Clubes de 2021 e 2022 também está neste pacote, entre outros.

A coluna teve acesso à movimentação de arquivamento processual. Na decisão, o desembargador Plínio Pinto Coelho Filho afirmou ter julgado o assunto sozinho, mas sem resolução de mérito. Ou seja, o desembargador decidiu encerrar a disputa sem analisar as alegações do reclamante —no caso, a Fifa. O blog apurou que Fifa e Globo resolveram a situação entre si e preferiram desistir da briga na Justiça.

A disputa começou no ano passado, no auge da pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, a Globo alegou que a pandemia fez todos os grupos de mídia passarem por dificuldades financeiras. Além disso, o grupo de comunicação brasileiro argumentou que as competições da Fifa previstas para o ano foram canceladas, o que causou prejuízo.

Entre os eventos previstos para 2020 estavam o Mundial de Futsal e as Copas do Mundo Feminina Sub-17 e Sub-20 —todos adiados para 2021. O torneio olímpico de futebol, que seria realizado nos Jogos de Tóquio 2020 também é organizado pela Fifa, mas o contrato não contempla a sua exibição.

A emissora alegou também que o valor ficou impagável por causa da elevação do dólar —US$ 90 milhões, no câmbio atual, representam algo próximo a R$ 500 milhões. Em suas alegações, a empresa brasileira afirmou ter sido sempre uma boa parceria —antes do problema em 2020, pagou em dia todas as cinco parcelas do contrato desde 2015.

Após a abertura do processo, a Globo conseguiu uma liminar e venceu em duas instâncias na Justiça no Rio de Janeiro, com a Fifa recorrendo sempre que perdia. Em janeiro, executivos das duas partes se reuniram pouco antes do Mundial de Clubes, realizado em fevereiro, para discutir a situação. Com o arquivamento, a Globo segue como principal parceira comercial da Fifa no Brasil.