BR-153

Justiça mantém condenação de motorista de Cristiano Araújo

Ronaldo Miranda Ribeiro continua com a pena de dois anos e sete meses de detenção, convertida em prestação de serviços

Cidades

Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás | Em: 19/12/2019 às 10:28:45

Ronaldo (dir.) e Cristiano Araújo (Foto: Reprodução)
Ronaldo (dir.) e Cristiano Araújo (Foto: Reprodução)

Justiça de Goiás manteve a condenação por homicídio culposo do motorista de Cristiano Araújo e da estudante Allana de Morais, em acidente que matou o cantor e a namorada na BR-153, em Morrinhos, no dia 24 de junho de 2015. Com isso, Ronaldo Miranda Ribeiro continua com a pena de dois anos e sete meses de detenção, convertida em prestação de serviços.

Ele também deverá pagar 10 salários mínimos a uma entidade social e indenização de R$ 25 mil às famílias das vítimas. Na decisão, do dia 11 de janeiro de 2018, o magistrado entendeu que Ronaldo agiu de forma “imprudente, negligente e imperita” ao conduzir o veículo em velocidade acima do permitido. Ele estava a 179 km/h quando o pneu estourou, o que provocou o acidente fatal. 

Além disso, segundo o laudo, o motorista também havia trocado as rodas do veículo, um Range Rover. Ronaldo havia substituído as rodas de aro 21 por outras de maior diâmetro e os pneus por outros de perfil mais baixo. Segundo a perícia, à época, as alterações afetaram a “segurança do veículo em razão do índice de velocidade e capacidade de carga terem se tornado menores que os originais”.

As rodas substituídas ainda estavam estavam com estrutura comprometida por deformações e soldas “grosseiras”. Ronaldo chegou a solicitar reparo na loja em que adquiriu o produto, mas teve o serviço negado. Assim, segundo consta no processo, o próprio motorista providenciou soldagem e pintura das rodas, instalando de forma precária, sem recolocar os bicos de ar originais com sensores de pressão.

O Mais Goiás tentou contato com advogado do motorista, mas não obteve sucesso.