Celebridades

Justiça manda MBL e Alexandre Frota apagar postagens sobre Caetano Veloso e Paula Lavigne

Os autores das publicações têm 48 horas para apagá-las. Caso contrário, estarão sujeitos a uma multa de R$ 10 mil por dia


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 31/10/2017 às 16:39:25

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Caetano Veloso e sua ex-esposa, Paula Lavigne, conseguiram na Justiça do Rio de Janeiro duas liminares que obrigam o ator Alexandre Frota e o Movimento Brasil Livre (MBL) a apagarem postagens consideradas ofensivas pelo casal. As publicações insinuam que o cantor é pedófilo por ter iniciado seu relacionamento com Lavigne quando ela tinha 13 anos, além de atacarem

MBL e Alexandre Frota têm 48 horas para retirar as postagens do Twitter e do Facebook, conforme determinado pelo juiz Bruno Manfrenatti da 50ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Caso contrário, estarão sujeitos a uma multa de R$ 10 mil por dia.

Caetano Veloso e Paula Lavigne acabam de conseguir na Justiça do Rio de Janeiro duas liminares que obrigam Alexandre Frota e os dirigentes do MBL, Kim Kataguiri, Renan dos Santos e Vinicius Aquino, a retirarem em 48 horas do Twitter e Facebook postagens consideradas ofensivas pelo juiz Bruno Manfrenatti, da 50ª Vara Cível.

Postagens

Em relação às postagens de Frota, o juiz as considerou como “ofensas caluniosas e injuriosas”. O texto das publicações dirigia ofensas diretas a Caetano Veloso, como “171”, “ladrão” e “filho da p***”.

O magistrado ressaltou ainda que o suposto ato de pedofilia citado pelo MBL e por Alexandre teve o intuito de “depreciar a imagem dos autores” e foram ofensas “difamatórias e caluniosas”.