Operação Cash Delivery

Justiça Federal mantém prisão temporária de Rodrigo Godoi, detido em operação da PF

Rapaz foi o primeiro a ser ouvido em audiência de custódia e alegou ter síndrome do pânico. Juiz determinou que ele seja levado a um médico especialista para emissão de um laudo sobre a doença


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 28/09/2018 às 16:24:23

Juiz manteve prisão temporária (Foto: Fabrício Moretti)
Juiz manteve prisão temporária (Foto: Fabrício Moretti)

Tiveram início na tarde desta sexta-feira as audiências de custódia dos detidos na Operação Cash Delivery, deflagrada pela Polícia Federal contra o ex-governador Marconi Perillo e aliados. As sessões são presididas pelo Juiz Odorico Rocha Santos. O primeiro a ser ouvido foi o estudante de engenharia Rodrigo Godoi Rincon, filho do ex-coordenador da campanha do governador José Eliton (PSDB) à reeleição, Jayme Rincon. O jovem teve a prisão temporária, de cinco dias, mantida, ele é acusado, assim como o pai, de ter recebido dinheiro de propina da Odebrecht.

Na ocasião, Rodrigo, aos prantos, afirmou que agentes não lhe informaram o motivo de sua prisão, mas foi autorizado a comunicar um familiar, via telefone, da reclusão. Ainda, alegou sofrer de síndrome do pânico, agorafobia e problemas cardícos e, por isso, não pode passar por estresse. “Gostaria de deixar claro, para eventuais esclarecimentos (sic)”, disse.

O advogado dele, identificado apenas como “doutor Romero”, pediu a revogação da prisão. Em contra partida, o MPF reforçou entender que os motivos que levaram à prisão do rapaz persistem. O magistrado então optou por manter em vigor a prisão temporária, mas determinou que o jovem seja levado a um médico especialista, para emissão de um laudo sobre riscos de agravamento da doença dele em razão do estresse.

Aguarde mais informações.

*Fabrício Moretti é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo