Improbidade

Justiça bloqueia bens de prefeito por irregularidades em Rio Quente

Três secretários, 3 vereadores e um ex-secretário também são réus na ação.




A Justiça determinou o bloqueio de parte dos bens do prefeito de Rio Quente, Rivalino de Oliveira Alves (PP), além de três vereadores, três secretários municipais e de um ex-secretário. Eles são suspeitos de enviar a conta do abastecimento de veículos particulares para a prefeitura da cidade. No total, o prejuízo aos cofres públicos é de mais de R$ 116 mil.

A decisão foi divulgada no último dia 24. Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual (MP-GO), o prefeito, os vereadores João Batista de Oliveira (PT), Galdino Alves Montes (PP) e Vanderlúcio de Lima (PRP), e os secretários Elzimar de Fátima Montes, Márcio Pazzelli Lisboa e Marco Aurélio de Oliveira abasteceram os próprios veículos, inclusive aos finais de semana, entre setembro de 2013 a março de 2014.

Segundo o Ministério Público, o esquema foi descoberto após a denúncia do ex-secretário de Planejamento, Júlio Franco de Jesus Magalhães Carvalho, que autorizava o pagamento ao posto de combustíveis. Ele também consta como réu na ação. Os promotores de Justiça pedem que os investigados respondam por improbidade administrativa.

O prefeito informou, em nota, que só vai se pronunciar sobre o caso quando for notificado oficialmente. Já a assessoria de imprensa da Prefeitura de Rio Quente disse que a defesa do prefeito e dos secretários será feita pelo departamento jurídico da administração. (Com o G1)