DECISÃO

Justiça autoriza João de Deus a cumprir prisão domiciliar

DGAP aguarda ser notificada oficialmente para cumprimento da decisão. Médium deverá cumprir medidas cautelares, como entregar passaporte e não se aproximar de vítimas do processo


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 30/03/2020 às 18:39:33

Justiça autoriza João de Deus a cumprir prisão domiciliar (Foto: Michael Melo/Metrópoles)
Justiça autoriza João de Deus a cumprir prisão domiciliar (Foto: Michael Melo/Metrópoles)

A Justiça goiana autorizou o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, a cumprir prisão domiciliar. A decisão, dada pela juíza Rosângela Rodrigues dos Santos,  saiu na última sexta-feira (27) e determina, também, que ele cumpra medidas cautelares como a devolução do passaporte, não poder frequentar a Casa Dom Inácio de Loyola, não manter contato com nenhuma testemunha do processo e fazer uso de tornozeleira eletrônica.

De acordo com o advogado do médium, Marcos Maciel, ainda não sabe em quais das casos que João de Deus possuí que ele ficará. Ele alegou que o pedido da conversão da prisão foi baseada no estado de saúde do cliente. “A saúde de seu João é muito debilitada e era muito deficiente a prestação de socorro dentro do Complexo Prisional”, destaca.

Segundo Marcos, o médium deve deixar o presídio, no máximo, até esta terça-feira (31) e que todas as medidas cautelares já foram cumpridas por parte da defesa. “Agora, fica o trâmite obrigatório que é a juíza fazer a notificação ao presídio para que seja cumprida a determinação”, ressalta.

Por meio de nota, DGAP informou que a Gerência de Cartórios e Movimentação de Vagas não foi notificada oficialmente até o fechamento dessa reportagem.

Caso João de Deus

João de Deus está preso desde 16 de dezembro de 2018 após diversas denúncias de crimes sexuais. De lá para cá, ele teve habeas corpus negados, uma fazenda invadida por integrantes do Movimento Sem Terra (MST) e Movimento Camponês Popular (MCP), abandono de advogados do caso e três condenações: uma de quatro anos, em regime aberto, no caso de posse ilegal de armas de fogo, outra de  19 anos de prisão por crimes sexuais – sendo a primeira por esse tipo de crime e a última em 40 anos, também por crimes sexuais contra cinco vítimas.

Ambas as decisões são da juíza Rosângela Rodrigues. João de Deus sempre negou os crimes. Mesmo preso, o médium continuava a lucrar com a rede internacional que atrai diversos turistas à Casa Dom Inácio de Loyola, segundo uma reportagem da IstoÉ. A revista Veja também mostrou que João de Deus continua fazendo ‘milagres’ dentro da cadeia.

Em janeiro deste ano, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) ofereceu a 12º denúncia contra o médium e, junto com ele, outros dois guias também foram inclusos no documento. De acordo com o órgão, eles tinham conhecimento do crime cometido pelo médium e não fizeram nada para impedi-lo com o propósito de ganhar mais prestígio dentro da Casa.

Nesse período encarcerado, o médium acabou visitando hospitais três vezes. Em uma delas, foram mais de 70 dias internados para cuidar de um aneurisma da aorta abdominal e, posteriormente, de uma pneumonia. A mais recentes delas foi no último dia 11 de março. O médium foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Flamboyant e, logo depois, transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Ele foi submetido a exames e liberado no mesmo dia.