Operação

Júnior Friboi é alvo de mandados de busca e apreensão em operação da PF

Ação policial investiga pagamento de propina de frigoríficos a servidores que atuavam em Serviços de Inspeção Federais (SIPs)

Cidades

Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 04/12/2019 às 14:28:40
Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 04/12/2019 às 14:28:40

O empresário José Batista Júnior, o Júnior Friboi, irmão de Joesley e Wesley Batista, foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta terça-feira (3). (Foto: Reprodução/Youtube)
O empresário José Batista Júnior, o Júnior Friboi, irmão de Joesley e Wesley Batista, foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta terça-feira (3). (Foto: Reprodução/Youtube)

O empresário José Batista Júnior, o Júnior Friboi, irmão de Joesley e Wesley Batista, foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta terça-feira (3). Os mandados foram cumpridos pela Polícia Federal (PF) na residência do empresário e na empresa dele, a JBJ. Operação investiga pagamento de propina de frigoríficos a servidores que atuavam em Serviços de Inspeção Federais (SIPs), do Ministério da Agricultura.

O Mais Goiás tentou contato com a defesa de Júnior Friboi e aguarda um posicionamento. A operação, que corre em sigilo, também prendeu um fiscal agropecuário e um diretor financeiro de um frigorífico. Os nomes dos envolvidos e das empresas não foram divulgados.

Júnior Friboi foi presidente da empresa JBS, do grupo J&F no passado e se desvinculou do cargo em 2013 para ingressar na vida política. O empresário pretendia concorrer ao Governo de Goiás nas eleições de 2014, mas acabou desistindo de oficializar a candidatura. Depois de se afastar da política, ele passou a dar mais atenção à sua própria empresa, a JBJ.

Operação

Ao todo, são 21 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 11ª Vara Federal de Goiás. Além de Goiânia, eles foram cumpridos em Goianira, Mozarlândia e Santa Fé de Goiás. Outros estados também estão na lista: Minas Gerais (Uberlândia e Frutal), Mato Grosso do Sul (Ponta Porã) e Votuporanga (SP).

De acordo com a operação, fiscais agropecuários e agentes sanitários recebiam mensalmente vantagens indevidas pagas pelas empresas fiscalizadas. Eles desempenhavam função nos SIFs de frigoríficos de Mozarlândia e Santa Fé de Goiás.

Segundo a PF, os pagamentos eram feitos desde 2012 através de contas bancárias dos investigados ou de pessoas ligadas a eles. Um dos fiscais ainda teria recebido os pagamentos em dinheiro, dentro da sede do grupo econômico de um dos frigoríficos investigados.

Na segunda

Na última segunda-feira (2), segundo a fonte do Mais Goiás, um dos alvos da Operação da PF teria sido Fabrício de Oliveira Batista, filho de Júnior Friboi. A corporação teria “visitado” o empresário em um condomínio fechado, em Goiânia.

Fabrício é sócio da JBJ Agropecuária Ltda, ao lado de seu pai, José Batisto Júnior (o Júnior Friboi), conforme dados da Receita Federal do Brasil (RFB). Júnior, segundo o site Assessoria Agropecuária, recebeu, em 2017, quando deixou a J&F Investimentos, ações que utilizou para adquirir terras e o frigorífico Mataboi, em Minas Gerais. Seus negócios foram reunidos na JBJ Holding e dentro desta está da JBJ Agropecuária, que é dirigida por seu filho Fabrício e que possui capital social de R$ 1.003.192.431,00, com matriz localizada na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo.

A Mataboi Alimentos Ltda, por sua vez e de acordo com seu site oficial, está localizada na Avenida Rondon Pacheco, n° 3927, Uberlânda. Já o CNPJ indica a Avenida Theodoreto Veloso de Carvalho, em Araguari, também em Minas Gerais. Não há informações sobre Fabrício na ação desta quarta-feira.

O Mais Goiás tem tentado com a assessoria de comunicação da JBJ para que a mesma possa se manifestar acerca do conteúdo dessa matéria. O espaço está aberto e o texto poderá ser atualizado.