Caso encerrado

Juiz encerra inquérito contra Neymar sobre fotos vazadas de Najila Trindade

O jogador havia feito uma publicação no Instagram para se defender e fotos íntimas da modelo haviam sido expostas


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 08/10/2020 às 09:20:37

Najila acusou jogador de estupro durante encontro em Paris. Ex-marido também foi indiciado por fraude processual.
Najila acusou jogador de estupro durante encontro em Paris. Ex-marido também foi indiciado por fraude processual.

Em decisão proferida na última sexta-feira (2) e obtida pelo UOL Esporte, o juiz Marcel Laguna Duque Estrada, da 36ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, arquivou e encerrou um inquérito contra Neymar pelo vazamento de imagens da modelo Najila Trindade em junho de 2019.

Naquele mês, o astro do Paris Saint-Germain foi investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes Virtuais (DRCI) depois de uma postagem do próprio jogador no Instagram que continha fotos íntimas que a modelo havia o enviado antes de encontro entre eles em Paris. O post visava fortalecer a defesa do craque no caso da acusação de estupro da modelo.

Em setembro do ano passado, Najila Trindade respondeu perguntas do delegado responsável pela investigação por cerca de 20 minutos. Durante o interrogatório para investigar o vazamento das imagens íntimas, Najila afirmou ter enviado as fotos para Neymar, mas negou ter autorizado que ele as publicasse nas redes sociais.

A modelo confirmou ter visto as imagens divulgadas pelo jogador pouco tempo depois de o caso do suposto estupro vir à tona. A publicação foi retirada do ar logo depois pelo próprio Instagram por entender que o conteúdo “violava os padrões de comunidade”.

Pouco antes, em agosto de 2019, a juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, da Vara da Região Sul 2 de Violência Doméstica e Familiar, aceitou recomendação do Ministério Público e encerrou a investigação sobre a denúncia de estupro por falta de provas contra Neymar. No mesmo período, polícia e MP abriram inquérito contra Najila por falsa denúncia de um crime.