CENSURA

Juiz de Anápolis nega pedido de censura a livro sobre decepções amorosas

Titular da 1ª Vara Cível de Anápolis, juiz Eduardo Walmory Sanches negou pedido para retirar do mercado uma obra literária, publicada de forma independente


Larissa Feitosa
Do Mais Goiás | Em: 11/09/2020 às 14:06:33

Imagem ilustrativa (Foto: Reprodução)
Imagem ilustrativa (Foto: Reprodução)

Nesta quarta-feira (9), o juiz Eduardo Walmory Sanches negou um pedido que barra a comercialização de um livro. O processo correu na comarca de Anápolis. A autora do processo alega que um dos personagens da obra foi baseado em sua vida, e por isso, o livro não devia ser comercializado. Mas para o juiz, aceitar o pedido seria censura.

Na petição, a autora do processo afirma que houve apenas a alteração dos nomes dos personagens e “ultrapassa a mera coincidência”. De acordo com a mesma, toda a situação fere sua honra e imagem e, que por esse motivo, ela deseja também danos morais, ainda pendentes de julgamento.

O juiz Eduardo Walmory explica que, “No caso em julgamento, o autor do livro utilizou-se de nomes diferentes e não indicou em momento algum da obra de ficção que a autora era sua fonte de inspiração” e que o mais sensato a se fazer quando um escritor ofende diretamente alguém solicitar reparação moral e material, dependendo do ataque.

O livro

“Na Caverna das Decepções – Passando por decepções amorosas ao lado de Cristo”, foi publicado de forma independente e está sendo comercializado na plataforma Amazon, nas versões física e digital. A obra foi escrita pelo anapolino Mateus Soares Diniz e narra, em 17 capítulos, o apoio encontrado na religião para superar desilusões amorosas e crises emocionais.

Segundo a sinopse do livro, o leitor é convidado a entender e conhecer uma história transformada por Deus. O escritor narra um romance entre um homem e uma mulher e que após descobrir uma suposta traição, “ele se joga nos braços de Deus, aonde encontra paz e descanso”.