Alexandre Bittencourt
Do Mais Goiás

Jovens de Goiânia desafiam a covid, lotam boates e até compartilham narguilês

Fiscalização encontra bares, boatos e postos de gasolina lotados em Goiânia, uma cidade que se cansou do coronavírus

Fiscalização contra covid-19 encontrou 300 jovens reunidos em boate do residencial Humaitá neste sábado (Foto: Reprodução)

Narguilês compartilhados, drogas sintéticas e cerca de 300 jovens – todos sem máscara – em um espaço pequeno, fechado e sem ventilação. Foi este o cenário que o guarda civil metropolitano Rayone Azevedo encontrou em uma boate no residencial Humaitá no sábado, por volta das 2h da manhã.

“A gente fica assustado. As pessoas estão descontroladas. Nós, que estávamos lá a trabalho, temos família. Muitos têm filhos ou esposas com problemas de saúde. E as pessoas não respeitam”, diz o guarda civil. “É tão grave que tivemos que prender cinco pessoas por desacato e incitação ao crime”. 

Rayone estava na boate – cujo nome a reportagem vai omitir – para fiscalizar o cumprimento de medidas sanitárias contra covid-19. No fim de semana, o grupo do qual ele faz parte percorreu bares e boates de Goiânia e encontrou uma cidade que se cansou do coronavírus. A vida noturna da capital dos goianos voltou a pulsar. 

Além dos 300 jovens na boate, outros 400 estavam aglomerados em um posto de gasolina na avenida 136. Mais 300 em bares do setor Marista e 400 em uma festa no parque Amendoeiras. “Tivemos que usar granada de efeito lacrimogêneo porque criaram confusão com a gente em uma das abordagens”, diz o guarda civil. 

O cenário mais assustador foi o visto na boate, em que as pessoas se dividiam em grupos ao redor de pequenas mesas, com narguilés compartilhados. Mas a realidade não estava muito melhor nos outros locais fiscalizados pelo grupo, do qual fazem parte a Secretaria Municipal de Planejamento, da Agência do Meio Ambiente (Amma), a Vigilância Sanitária e o juizado da Infância e Juventude. 

Só neste fim de semana, a fiscalização visitou duas distribuidoras, um bar, três boates e um posto de gasolina na avenida 136. Rayone diz que a multa pode chegar a R$ 50 mil. Mas o alto valor assusta poucos. Dez autuações foram lavradas na sexta e no sábado. 

Veja um vídeo gravado na boate do Humaitá:

 

Festas no interior

O serviço de inteligência da Guarda Civil Metropolitana já descobriu um certo padrão entre grupos de jovens que resistem em manter a cautela durante a pandemia. Para evitar a abordagem da fiscalização, as festas foram transferidas de Goiânia para os municípios próximos, onde a guarda civil não pode agir.

“Eles anunciam a festa de divulgam o local apenas a poucas horas da realização do evento. Geralmente é em Trindade, Goianira ou Inhumas, onde a gente não pode atuar e a fiscalização é menor”, afirma o guarda civil Rayone. “As festas em Goiânia diminuíram. Mas isso não quer dizer que elas estão deixando de acontecer”. 

Veja vídeo da festa no parque Amendoeiras: