Execução?

Jovem morre e moça fica ferida após tiroteio em uma lanchonete de Goianésia

Segundo a Polícia Civil, Wésley Martins só tinha registro por posse de drogas e teria sido assassinado por engano; autoria e motivação do crime ainda são desconhecidas


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 26/07/2019 às 12:04:15

(Foto: Leitor / Mais Goiás)
(Foto: Leitor / Mais Goiás)

Um jovem, de 18 anos, morreu e uma moça ficou ferida, na noite desta quinta-feira (25), após um tiroteio em uma lanchonete situada no Residencial Ipês, em Goianésia, a 176 km de Goiânia. Segundo informações da Polícia Civil (PC), Wesley Martins de Araújo foi atingido por mais de 10 tiros. Além do jovem, Vanessa Santana Ferreira, também de 18 anos, foi atingida no ombro esquerdo por uma bala perdida.

Wesley tinha passagens apenas por posse de drogas. A principal suspeita é que o jovem tenha sido confundido com um traficante que esteve no estabelecimento mais cedo naquele dia.

Ainda conforme informações da PC, Wesley era conhecido pelo apelido de “Gorilinha”. O rapaz estava lanchando no momento em que um carro, de cor prata, se aproximou do estabelecimento e um dos ocupantes começou a atirar contra ele. A vítima não resistiu e foi a óbito antes de o socorro chegar. A perícia ainda não consegue determinar quantos disparos foram efetuados, mas ao menos dez cápsulas de bala foram encontradas no local.

Vanessa também estava na lanchonete quando os criminosos chegaram. A moça foi atingida por um dos disparos, mas foi atendida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e, em seguida, levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local, sem risco de morte. O Mais Goiás não obteve retorno sobre o estado de saúde de Vanessa.

A Polícia Militar (PM) esteve no estabelecimento e isolou o local até a chegada da perícia. Um inquérito policial foi instaurado para apurar o crime, que será investigado pelo Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Goianésia. Motivação e autoria ainda são desconhecidas. O Mais Goiás tentou contato com o delegado Marco Antônio Maia, que esteve no local do crime, mas não obteve resposta.

Wesley teria sido confundido com um traficante de drogas que esteve na lanchonete mais cedo (Foto: Leitor / Mais Goiás)

Wesley teria sido confundido com um traficante de drogas que esteve na lanchonete mais cedo (Foto: Leitor / Mais Goiás)

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira