Inglaterra

Jovem estuprada se mata para não ver agressor no tribunal

Eleanor teve diversas crises de pânico após ter sido informada que teria que ver pessoalmente o seu agressor, frente a um tribunal





//

Uma jovem que disse ter sido vítima de estupro cometeu suicídio após ser levada a julgamento para provar o abuso sexual.

O caso, que aconteceu em Londres, na Inglaterra, está sendo investigado. Isso porque o fato de a justiça ter duvidado da vítima pode ter sido determinante para que sua morte acontecesse. 

Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, a jovem Eleanor de Freitas, de 23 anos, tirou a própria vida em abril deste ano.

Sua morte aconteceu três dias antes do julgamento onde ela teria que provar que havia sido vítima de estupro. O acusado – que não teve o nome revelado – afirmava que o sexo havia sido consensual.

Diagnosticada com transtorno bipolar e outros problemas psicológicos, Eleanor teve diversas crises de pânico após ter sido informada que teria que ver pessoalmente o seu agressor, frente a um tribunal.

A família de Eleanor defende que, se o julgamento não fosse necessário e se a denúncia da vítima e as investigações bastassem, Eleanor ainda estaria viva.

“Ela sofria com os transtornos psicológicos, sofreu o abuso e, depois de tudo isso, ainda seria obrigada a ver o estuprador e comprovar que era vítima? Minha filha não aguentou e foi embora para não ter que se defender mais”, afirmou David Freitas, pai da jovem.

Um novo julgamento está agendado para esse mês, a fim de avaliar se haviam outras maneiras de concluir o caso e, ainda, se a justiça teve culpa na morte da jovem.