Cinema

Joss Whedon: “Histórias de super-herói são meio fascistas”

Diretor dos dois filmes d'Os Vingadores acha que o poder acumulado nas mãos de alguns é problemático




O cineasta Joss Whedon participou de uma sessão de perguntas e respostas com fãs na rede social Tumblr e falou sobre uma questão que sempre o incomodou em filmes de super-heróis. Segundo o THR, ele foi questionado se achava que os filmes tinham algo a ver com o crescimento do autoritarismo em dezenas de países pelo mundo. Ele disse que sim.

 

“Este é um assunto que me incomoda há anos. Foi o maior conflito em A Era de Ultron. Histórias de super-herói são meio fascistas. Eu as amo, mas pode observar que por mais que eu ame elevar o ser, eu odeio a ideia de poucos terem muito poder sobre muitos”, disse.

 

Ele complementou falando de sua série de estreia, Buffy – a caça vampiros: “É por isso que Buffy termina com ela dividindo o seu poder; para derrubar o mito ocidental e criar histórias que celebram a comunidade”. A Era de Ultron, segundo filme d’Os Vingadores, gira ao redor de Ultron, criação de Tony Stark e Bruce Banner para proteger o mundo e que acaba tendo consequências catastróficas, praticamente destruindo um país inteiro – consequências depois exploradas em Capitão América: Guerra Civil.