Comportamento

Jornalista australiana revela na TV que tem vida dupla como prostituta de luxo

Ao “Daily Mail Australia”, o ex-marido da jornalista, o banqueiro David Basha, afirmou que a revelação foi uma “desgraça”




//
//

A jornalista Amanda Goff, 40, surpreendeu a Austrália ao revelar que virou prostituta durante o programa “Sunday Night”, na semana passada. A bem-sucedida repórter que vive em Sidney, especializada em beleza e celebridades, disse que decidiu tentar a sorte na nova profissão desde que visitou um bordel de luxo em 2012, durante sua hora de almoço.  

“Sou uma mulher de negócios, vendo meu tempo e sexo. Sexo é um negócio, e um grande negócio”, disse Amanda ao “Sunday Night”. “Por que escolhi vender o meu corpo? Eu não vendo o meu corpo, eu só decidi cobrar por algo que eu já fazia de graça”, disse.

Amanda tem 20 anos de carreira como jornalista e diz que a nova profissão não anula a antiga. Ela contou que, após seu divórcio, ela saiu com alguns homens e teve experiências desagradáveis e decidiu: “ninguém mais vai tirar vantagem de mim”.

Ao “Daily Mail Australia”, o ex-marido da jornalista, o banqueiro David Basha, afirmou que a revelação foi uma “desgraça”: “Tive que explicar aos meus filhos o que está a acontecer”.

Amanda Goff atende como Samantha X e cobra US$ 800 (R$ 1.890) por hora de programa, ou US$ 5.000 (R$ 11,8 mil) pela noite inteira. Amanda diz que, por US$ 5.000, ela oferece o seu tempo e intimidade ao cliente, e que seu trabalho é fazer que eles se sintam desejados. “Ele chega, a gente conversa, faz sexo, ele vai embora, e eu sou paga. É isso”, resumiu.

Questionada pelo apresentador do “Sunday Night” se tem previsão de quando irá parar de prestar os seus serviços como acompanhante, Amanda foi romântica: “Muitas pessoas fantasiam com algo depravado, eu fantasio com algo normal, como ir ao cinema de mãos dadas com um homem bom. Vou parar quando me apaixonar”.

Tópicos