Abuso

João de Deus teria estuprado criança de 8 anos, segundo MP

Ministério Público de Goiás falou na manhã de hoje (15) sobre a denúncia que envolve 13 casos de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude


Jairo Menezes
Do Mais Goiás | Em: 15/01/2019 às 17:31:24

Médium João de Deus (Foto: Cesar Itiberê / Fotos Públicas)
Médium João de Deus (Foto: Cesar Itiberê / Fotos Públicas)

O médium João Teixeira de Faria, de 76 anos, mais conhecido como João de Deus, teria estuprado uma criança de 8 anos. A informação foi repassada no final da manhã desta terça-feira (15) pelo Ministério Público Estadual (MP-GO). Mais uma denúncia foi registrada contra o médium de Abadiânia. Desta vez a força-tarefa que investiga crimes contra ele homologou nova peça relativa a 13 casos de estupro.

“Lembrando que esse número não representa o total de pessoas que teriam sido abusadas, pois é muito maior que a quantidade de vítimas efetivas”, diz o promotor de Justiça, Luciano Meireles, em coletiva de imprensa.

Segundo o MP-GO, cinco casos apresentados nesta acusação não estão prescritos — quatro das vítimas são de Goiás e uma de São Paulo. Outros oito já não servirão para punibilidade. Isso significa que o prazo de 20 anos para registrar a denúncia após a data do ocorrido foi ultrapassado.

Em maioria dos casos que serão julgados, a violência sexual aconteceu em atendimentos individuais. “Quatro correspondem ao delito de estupro de vulnerável e ocorreram em atendimentos individuais”, explicou a promotora Gabriella de Queiroz. O quinto, de violação sexual mediante fraude, teria acontecido em atendimento coletivo.

As outras oito vítimas, dos casos já prescritos, serão testemunhas no processo de investigação contra o médium, dentre elas há uma que foi abusada com apenas 8 anos. As mulheres vitimadas que compõem o quadro dos cinco casos que serão investigados em decorrência à nova denúncia, ocorridos entre 2009 e 2018, têm de 19 a 47 anos de idade.

Médium João Teixeira, o João de Deus, após prisão (Foto: SSP-GO)

Médium João Teixeira, o João de Deus, após prisão (Foto: SSP-GO)

De acordo com a promotora, as vítimas de outras localidades, como Rio de Janeiro, Maranhão, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal serão ouvidas pelos Ministérios Públicos de cada Estado.

O médium nega todas as acusações e continua preso no Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia desde o dia 16 de dezembro de 2018.

*Larissa Lopes é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo