Alexandre Bittencourt
Do Mais Goiás

Jânio Darrot diz que PSDB não faz questão de liderar oposição em 2022

PSDB elegeu 21 prefeitos na eleição deste ano. Há quatro anos, saldo foi melhor: 75 prefeitos

Jânio Darrot pretende se licenciar da presidência do PSDB ainda em janeiro.
Jânio Darrot, prefeito de Trindade e presidente regional do PSDB (Foto: Divulgação)

Diante do fato de que o PSDB elegeu somente 21 prefeitos na eleição deste ano, menos de um terço dos 75 que elegeu há quatro anos, o presidente regional do partido, Jânio Darrot, afirma que o PSDB não faz questão de liderar o bloco de oposição ao governador Ronaldo Caiado (DEM) na campanha eleitoral de 2022. O objetivo dos tucanos, segundo ele, é ser uma legenda “viável”, com quem as demais siglas adversárias de Caiado queiram se aliar. 

“O PSDB não está preocupado em liderar o grupo de oposição. O que vamos procurar é ser um partido viável para que outros partidos queiram se aliar a nós. Nós não vamos exigir protagonismo na oposição, não. Seremos protagonistas se isso acontecer de forma natural, espontânea. Apenas assim”, disse Darrot em entrevista à rádio Sagres na manhã desta quarta-feira.

O presidente afirma que o tucanato está ciente e admite as suas limitações em Goiás. “Ainda é muito cedo para dizer se teremos candidato a governador, vice-governador ou senador. A única certeza que temos é que de que lançaremos chapas fortes na disputa para deputado federal e estadual”. Jânio diz que o PSDB está “em reconstrução” desde a derrota de José Eliton na eleição para governador e de Marconi Perillo na disputa pelo Senado, em 2018. 

Na opinião de Darrot, que também é prefeito de Trindade e conseguiu eleger o seu sucessor, Marden Júnior (Patriota), o fato de o partido do governador ter eleito algo próximo de 150 prefeitos não garante a ele, de forma absoluta, sucesso nas urnas em 2022. 

“Esse negocio de ter muitos prefeitos é relativo, nós tínhamos a maioria e perdemos em 2018. Ele fez prefeitos importantes, como o de Luziânia. O DEM será o partido com mais prefeitos. Isso influencia, claro, mas a eleição tem muito a ver com a avaliação de momento do governo. Prefeitos não transferem votos se o governo não estiver bem”, afirma o presidente do PSDB.