Alterações no Legislativo

Janela Partidária encerra com 18 parlamentares goianos em novas siglas

Entre as legendas, Democratas foi a que saiu mais fortalecida no processo encerrado na sexta (6)


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 09/04/2018 às 12:23:36

Alego registra maior número de mudanças de legisladores goianos (Foto: reprodução)
Alego registra maior número de mudanças de legisladores goianos (Foto: reprodução)

A movimentação de trocas de partido se encerrou na última sexta-feira (6), com o fim do prazo da Janela Partidária, prazo iniciado no dia 8/3. Entre os parlamentares goianos em atuação na Câmara Municipal, na Assembleia Legislativa (Alego), Câmara dos Deputados e Senado Federal, 18 mudaram de legenda. As mudanças podem refletir alterações no apoio político de cada parlamentar, em virtude de posicionamentos firmados para as eleições estaduais e federais.

Entre os 38 vereadores em exercício na Câmara Municipal, três alteraram a filiação partidária. São eles Emilson Pereira e Sargento Norvandir, que saíram do PTN para o Podemos; e o parlamentar Zander, que deixou o PEN pelo Patriotas. As alterações não influenciam na disputa de forças dentro da casa, já que a maior bancada na casa continua sendo liderada pelo MDB e partidos aliados.

A mudança mais significativa ocorreu no legislativo estadual, onde 14 dos 41 deputados alteraram suas siglas. Álvaro Guimarães (ex-PR), Isso Moreira (ex-PSDB) e Dr. Antônio (ex-PR) trocaram suas respectivas legendas pelo DEM. Diego Sorgatto (ex-PSB), Eliane Pinheiro (ex-PMN) e Jean Carlo (ex-PHS) foram para o PSDB.

Carlos Antônio saiu do PSDB para o PTB; Humberto Aidar trocou o PT pelo MDB, José Nelto deixou o MDB pelo Podemos, Lincoln Tejota substituiu o PSD pelo Pros, Lucas Calil saiu do PSL para o PSD e Simeyzon Silveira mudou do PSC para o PSD. Claúdio Meirelles que estava no PR também deixou a sigla, mas ainda não anunciou nova filiação.

As alterações na Alego configuram número superior a 1/3 da composição da casa. No entanto, a maior bancada continua sendo do PSDB, que perdeu três e ganhou outros três e permaneceu com 13 parlamentares. Os democratas, que até então não tinham representante na Alego, foram favorecidos com 13 inscrições.

Dos 17 goianos na Câmara dos Deputados, apenas um, Delegado Waldir, optou pela troca, saindo do PR para o PSL. No Senado, apenas Wilder Morais fez a mudança, deixando o PP pelo Democratas. O Senador e pré-candidato ao governo Ronaldo Caiado (DEM) permaneceu no partido presidido por ele em Goiás. Lúcia Vânia (PSD) também decidiu ficar na sigla atual.

Trocas fortalecem DEM

Em evento de filiação ocorrido no último dia 5/4, Caiado afirmou que as agendas dele e a de Wilder serão uma só.  “Vamos turbinar sua pré-candidatura. Vou rodar o estado inteiro”. “Agora, onde Caiado colocar um pé, Wilder bota o outro”, completa Wilder.

Na mesma data, o deputado estadual José Nelto oficializou saída do MDB para o Podemos, por meio do qual anuncia pré-candidatura à Câmara dos Deputados. O partido anunciou apoio à Caiado no início da última semana.

Agora, o parlamentar integra a chamada frente “Unidos para Mudar Goiás”. “Se quisesse ficar na política e ter o direito de disputar um mandato na chapa proporcional precisaria mudar de partido. Foi o que fiz”, ressalta Nelto.

Segundo ele, atualmente o grupo tem 34 pré-candidatos à Câmara dos Deputados e formam uma composição para vencer o marconismo. “O povo quer mudança. Nosso adversário está no palácio das Esmeraldas”, sublinha.

Para Caiado, as alianças são fundamentais para garantir os objetivos da chapa, como eleição e, eventualmente, governabilidade. “Eles [candidatos/apoiadores] alavancam uma campanha. É como uma seleção que está sendo montada para defender Goiás. Se formos vitoriosos, esta base nos dará governabilidade”.