POLÊMICA DE NOVO

J.K. Rowling apaga comentário em apoio a Stephen King após ele apoiar mulheres trans

A autora da saga Harry Potter foi criticada no início de junho, após publicar uma série de tuítes considerados transfóbicos


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 29/06/2020 às 11:20:49

J. J. Rowling, autora de Harry Potter, revelou que sofreu abuso sexual no passado e defendeu o direito de falar sobre temas trans (Foto: Reprodução)
J. J. Rowling, autora de Harry Potter, revelou que sofreu abuso sexual no passado e defendeu o direito de falar sobre temas trans (Foto: Reprodução)

A autora da saga “Harry Potter“, J.K. Rowling, 54, deletou um tuíte que havia publicado na tarde deste domingo (28) em apoio ao autor Stephen King, 72, após o mesmo usar o Twitter para afirmar que “mulheres trans são mulheres”.

“Eu sempre reverenciei Stephen King, mas hoje meu amor alcançou outro patamar”, escreveu ela no tuíte deletado. “É muito mais fácil para os homens ignorarem as preocupações das mulheres ou menosprezá-las, mas nunca esquecerei os homens que se levantaram quando não precisavam fazê-lo. Obrigado, Stephen”.

J.K. Rowling foi criticada no início de junho, após publicar uma série de tuítes considerados transfóbicos. Os comentários vieram em resposta a um artigo de opinião do site de desenvolvimento global Devex, que deixou Rowling ressentida com a manchete “criando um mundo mais igualitário pós-Covid-19 para pessoas que menstruam”.

A autora chegou a dizer que mulheres trans deveriam receber um outro nome, que não “mulher”, e disse que seus comentários não tinham o objetivo de ofender a comunidade transsexual, apenas sublinhar que “o sexo é real e tem consequências vívidas”.

Rowling também já foi criticada por suas visões sobre a comunidade LGBT+ no passado. Em dezembro de 2019, ela apoiou uma mulher que foi demitida por tuitar que as pessoas não podem alterar seu sexo biológico. Ela também foi criticada por acrescentar uma relação homossexual à série “Harry Potter” depois que os livros foram publicados.

Recentemente, a autora revelou ter sofrido abuso sexual no passado e defendeu seu direito de falar sobre trans. J. K. Rowling indagou o impacto que o “novo ativismo trans” terá em causas que ela apoia, como projetos para prisioneiras mulheres ou sobreviventes de abuso.

A britânica contou que sobreviveu a abuso doméstico e agressão sexual e defendeu atenção especial para os trans.

“Pessoas trans precisam de e merecem proteção. Como mulheres, elas têm mais chances de serem mortas por parceiros sexuais. Mulheres trans que trabalham na indústria sexual, particularmente mulheres trans de cor, estão particularmente em risco. Como toda outra sobrevivente de abuso doméstico e abuso sexual que conheço, eu sinto nada além de empatia e solidariedade por mulheres trans que são abusadas por homens”, disse J. K. Rowling.

Evanna Lynch, atriz de ‘Harry Potter’, critica fãs obcecados pela saga