MENOS MATERIAL PARTICULADO

Isolamento contribui para melhoria do ar, em Goiânia

"Este período nos dá mostras de que é possível alcançar melhorias no curto prazo com ações bem executadas”, diz secretária do Meio Ambiente


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 25/04/2020 às 14:11:09

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Segundo monitoramento realizado pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad), a qualidade do ar em Goiânia teve uma melhora registrada no período de isolamento social determinado pelo governo de Goiás em resposta à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A pasta declarou, ainda, que houve uma redução na presença de material particulado no ar a partir da suspensão das aulas e do fechamento de estabelecimentos comerciais.

Vale destacar que o monitoramento é feito pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo). Este é realizado com base na medição dos níveis de partículas totais em suspensão (PTS) na atmosfera. As estações responsáveis por esse serviço estão localizadas na Praça Cívica e na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Goiás (UFG), próximo à Praça Universitária.

A queda no PTS no ar, a partir da publicação do Decreto nº 9.633, no mês passado, foi acentuada, conforme a pasta. A mudança foi de 41 microgramas de PTS por metro cúbico (µg/m3) para 18 µg/m3, entre os dias 11 e 23 de março. A redução é de 31%, se comparada ao mesmo período do ano passado. Só na Praça Cívica, a mudança foi de 42 µg/m3 para 29 µg/m3, de 2019 para 2020. Na Praça Universitária, a redução em março foi de 26%, saindo de 39 µg/m3 em 2019 para 29 µg/m3 em 2020.

Segundo informações da Semad, abril deve manter a queda. O quarto mês do ano, até onde foi apurado, teve uma média 32% menor que de 2019: 27 µg/m3 contra 40 µg/m3, no mesmo período passado.

Provisório

Com o retorno das atividades, o cenário deve ser afetado e voltar a normalidade, conforme relatado pelo gerente da Cimehgo, André Amorim. “Com a retomada das atividades normais da sociedade, a tendência é que esses níveis aumentem novamente, tendo em vista ainda, o período de estiagem que se aproxima, onde há um maior acúmulo de poluição no ar”, explica.

Andréa Vulcanis, secretária do Meio Ambiente, afirma que “a atividade humana impacta de forma muito agressiva a natureza e cabe a nós buscarmos ações que pelo menos diminuam este impacto”. Segundo ela, sem esta interferência vemos “o ar mais puro, os rios mais limpos e exemplos assim no mundo todo”. “Este período de isolamento forçado pela pandemia nos dá mostras de que é possível alcançar melhorias no curto prazo com ações bem executadas”, destaca.