Do Mais Goiás

Ipasgo suspende cirurgias eletivas a partir desta terça-feira (16)

Medida vai vigorar pelas próximas três semanas

STF suspende decisão que obriga Goiás a promover progressão de carreira
STF suspende decisão que obriga Goiás a promover progressão de carreira (Foto: Reprodução)

O Instituto de Assistência dos Servidores de Goiás (Ipasgo) suspendeu, a partir desta terça-feira (16), as cirurgias eletivas oferecidas pelo órgão com o objetivo de liberar mais leitos para pacientes com covid-19 no estado. A portaria que determina a suspensão vai vigorar pelos próximos 21 dias, uma vez que, segundo o próprio presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, as cirurgias eletivas “não têm caráter de urgência e podem ser agendados sem provocar prejuízos”.

A portaria segue a linha de medidas emergenciais do governo de Goiás, que tenta aumentar a disponibilidade de leitos para pacientes com covid-19, em decorrência do agravamento da segunda onda de contaminação. Com a suspensão das eletivas, o Ipasgo vai efetivar, pelas próximas três semanas, somente procedimentos e cirurgias de urgência e emergência que tenham riscos e necessidades comprovados pela auditoria do Instituto.

Para Lopes, a medida é necessário no atual contexto de pandemia. ““Neste momento, a prioridade é garantir que beneficiários porventura vítimas de contaminação pelo novo coronavírus recebam atendimento adequado”, diz.

Agravamento da segunda onda

Goiás enfrenta o que parece ser a pior fase da segunda onda de covid-19 até agora. Além da alta taxa de ocupação dos leitos de UTI sob gestão do Estado (89%) nesta terça, há ainda o problema da fila de pessoas infectadas pelo coronavírus que aguardam por um leito. Na segunda-feira (15), o número de indivíduos que aguardavam internação em UTI de Goiás ficou próximo de 140.

Conforme dados do painel da Secretaria de Saúde de Goiás (SES), há atualmente 627 leitos de UTI sob gestão do Estado. Desses, segundo atualização nesta tarde, 317 são exclusivos para pacientes com covid-19. No entanto. dos 317, 275 estão ocupados, oito bloqueados e somente 34 disponíveis, representando uma taxa de ocupação de 89,27%. Quanto ao cenário geral de UTIs (públicas e particulares), esse percentual chega a 89,63%.