Investigação

Investigados pela Operação Decantação somam R$ 1,1 bilhão em contratos

Em 10 anos, quase 10% dos contratos foram assinados pelas 17 empresas alvos da denúncia do Ministério Público Federal


Juliana França
Do Mais Goiás | Em: 22/01/2018 às 19:00:13

O trânsito ficará apenas parcialmente interditado em meia pista, na rua São Mateus com a rua dos Farrapos(Foto: Reprodução)
O trânsito ficará apenas parcialmente interditado em meia pista, na rua São Mateus com a rua dos Farrapos(Foto: Reprodução)

As empresas citadas na nova denúncia da Operação Decantação, do Ministério Público Federal (MPF), firmaram contratos com a Saneago que somam cerca de R$ 1,1 bilhão, em pouco mais de 10 anos, sem considerar os aditivos. As informações são do Jornal O Popular.

Segundo dados, desde 2007, 17 empresas assinaram quase 10% de todos os contratos da Saneago. Essas empresas foram citadas na denúncia de 38 pessoas e no pedido de prisão de quatro envolvidos. De acordo com o Portal de Transparência da Saneago, nesse período foram feitos 4.409 contratos. Desses, 388 foram assinados com alguma das empresas citadas na investigação.

Só a Tecnobombas Motores e Serviços LTDA, pela qual atuaria Gilberto Richard de Oliveira, um dos alvos da denúncia, assinou 147 contratos que somaram cerca de R$ 54,7 milhões.  Segundo a denúncia, foi a partir da atuação dessa empresa que MPF iniciou as apurações.

Operação Decantação

O Ministério Público Federal protocolou a nova denúncia da Operação Decantação, que investiga esquemas de corrupção na Saneago. O documento apontou o envolvimento de 38 pessoas e pediu a prisão preventiva de quatro.

O pedido justifica que a prisão do grupo é necessária para impedir que os denunciados continuem com atividades criminosas e evitar que influenciem servidores, empresários e políticos na coleta de provas. Foi pedida a prisão preventiva do ex-presidente da Saneago e atual diretor-presidente da Fundação de Previdência Complementar do Estado de Goiás (PREVCOM-GO) José Taveira, os ex-diretores da estatal Robson Salazar e Mauro Henrique Barbosa, e o empresário Carlos Eduardo Pereira da Costa, dono da Sanefer Construções e Empreendimentos.