Do Mais Goiás

Investigado por pornografia infantil em Nova Glória assediou criança de 8 anos, diz polícia

As investigações tiveram início depois que a mãe de uma menina de 11 anos procurou a polícia para relatar que sua filha estava sendo assediada

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio das delegacias de Goianésia e Nova Glória, cumpriram, na última segunda-feira, 31, um mandado de busca e apreensão na casa de um homem de 34 anos investigado por crimes envolvendo pornografia infantil e assédio a uma menina de 11 anos. No celular do investigado, que chegou a ser preso em flagrante, a polícia encontrou também mensagens com conteúdo de assédio para uma criança de 8 anos.

Conforme a delegada responsável pelo caso, Poliana Bérgamo, as investigações tiveram início depois que a mãe de uma menina de 11 anos procurou a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Goianésia e relatou que a filha estaria sendo assediada por um homem mais velho, até então, não identificado.

Após trabalho de inteligência, a Polícia Civil descobriu a identidade do homem e representou pela busca e apreensão na residência dele, no município de Nova Glória. De acordo com Poliana, os investigadores encontraram no celular do homem um vasto conteúdo de pornografia infantil, algumas, inclusive, de outros estados.

Foto: PCGO

“Nós localizamos no celular dele bastante vídeos e fotos de crianças em situação de pornografia. Uma delas, que identificamos no vídeo, é uma moradora de Porto Velho, de 11 anos’, revela a delegada.

O homem agia pelas redes sociais, abordando crianças geralmente pelo Instagram. Conforme Poliana, mensagens trocadas com uma criança de apenas 8 anos também foram encontradas no celular do investigado. Numa delas, a menina dizia claramente sua idade. Ao Mais Goiás, a delegada contou que, ao ser preso em flagrante, o homem admitiu vagamente que sabia a idade das crianças das fotos e vídeos em seu celular.

Investigado por pornografia infantil segue em liberdade

De acordo com informações da Polícia Civil, o homem foi encaminhado à Delegacia de Ceres, onde foi autuado em flagrante pelo crime de vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Porém, foi liberado logo em seguida.

A delegada Poliana Bérgamo explica que o homem foi preso em flagrante por armazenar pornografia infantil, e agora o inquérito está investigando os outros crimes previstos no ECA. Enquanto isso, o investigado segue em liberdade.

O próximo passo, segundo Poliana, é a análise de todo o material apreendido para a possível expedição de um mandado de prisão preventiva contra o homem. Ele também responderá a inquérito policial instaurado pela DEAM de Goianésia pelo crime previsto de satisfação de lascívia mediante presença de criança ou adolescente.