Do Mais Goiás

Internada em hospital particular em Caldas, mulher precisa de vaga em urgência para cirurgia no coração

Deputado e advogada buscam na Justiça viabilizar transferência

Internada em hospital particular em Caldas, mulher precisa de vaga em urgência para cirurgia no coração
Internada em hospital particular em Caldas, mulher precisa de vaga em urgência para cirurgia no coração (Foto: Pixabay)

Moradora de Piracanjuba, Dalvani Aparecida Alves, de 56 anos, precisa de uma vaga de urgência para uma cirurgia no coração (procedimento cardiológico), com implante de marca-passo. Internada no Hospital particular Nossa Senhora Aparecida em Caldas Novas, ela está com taquicardia paroxistica e aguardando encaminhamento de urgência – ou seja, o coração precisa do marca-passo para bater.

Há 12 dias, Dalvani passou mal e começou a apresentar risco de morte, segundo informação de familiares. Inicialmente, ela foi internada em Piracanjuba, mas foi transferida após 30h para o hospital em Caldas, que possui UTI e maior suporte para atendimento. Mas o local também não faz o procedimento que ela precisa, que dura cerca de 10h e necessita de uma estabilização.

O deputado estadual Alysson Lima (Solidariedade), no sábado (11), enviou um ofício ao promotor de Justiça de Caldas Novas para pedir que o Estado providencie o encaminhamento da mulher para uma vaga de urgência para o procedimento cardiológico, com implante de marca-passo. Uma petição também foi protocolada no plantão judiciário, no domingo (12), para tentar viabilizar a transferência e a intervenção. A peça é assinada pela advogada Sueli Barbosa Gonçalves Schrader.

“Quanto ao direito propriamente dito, tem-se, no presente caso, verdadeira hipótese de guarida do direito à saúde, direito fundamental de toda pessoa humana, sendo função essencial do Estado garantir sua concretização da forma mais ampla possível”, escreveu em trecho.

Segundo ela, “não podem questões burocráticas, orçamentárias, contábeis ou de que ordem for, prevalecer sobre tão delicado direito do homem, a sua própria existência como tal”. Ao Mais Goiás, a advogada informou que teve conhecimento do caso somente nesse fim de semana, quando resolveu acionar a justiça de Caldas. Ela foi procurada pela irmã da paciente pelas redes sociais. “Estava desesperada.”

Sueli explicou, ainda, que ablação e serve para tratar algumas arritmias cardíacas. “É um procedimento de mais de 10h, mas é simples se o paciente estiver estabilizado. Mas a situação da Dalvani é gravíssima”, revela a urgência.

PGE sobre o pedido de encaminhamento de urgência por cirurgia no coração

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) foi procurada para comentar a demanda da advogada para encaminhamento de Dalvani para o procedimento cardiológico, mas informou que ainda não foi notificada. Destaca-se, a peça solicita que o juiz decida antes de ouvir a PGE por causa da urgência.

Segundo Sueli, o magistrado ainda não emitiu decisão interlocutória – ou seja, antes da definitiva.