DEMOCRACIA EM RISCO

Intenção de Bolsonaro de golpe aos moldes de Trump é clara, diz cientista político

Para Marcos Marinho, o dia caótico nos EUA perpetrado por apoiadores de Trump pode inspirar eventos parecidos no Brasil


Ton Paulo
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 19:10:21
Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 19:10:21

(Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
(Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)

Quatro pessoas morreram e dezenas foram presas num ato de invasão do Capitólio, sede do Congresso norte-americano, executado por apoiadores do presidente Donald Trump, na última quarta-feira (6). Os invasores quebraram barreiras de proteção e entraram no local quando ocorria a sessão de certificação da vitória do presidente eleito, Jose Biden, e sua vice, Kamala Harris. O ato, que foi insuflado por Trump, foi referido por democratas e republicanos como um ataque à democracia estadunidense e, para o cientista político Marcos Marinho, a possibilidade de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) faça o mesmo no Brasil em 2022 não está muito distante.

De acordo com Marinho, que também é professor e consultor de Marketing Político, Bolsonaro é um “imitador de Trump” e sua tendência de copiar os movimentos do político americano, assim como sua postura de ataques à imprensa e às instituições, pode respingar nas próximas eleições presidenciais. “A cartilha que ele [Bolsonaro] está utilizando nesses dois primeiros anos de mandato é a trumpista. Ele está o tempo todo desacreditando a imprensa, o nosso método eleitoral, como o próprio Trump faz, sem nenhum embasamento técnico“, explica o cientista.

Ainda conforme Marinho, o presidente brasileiro tem seguido a mesma linha de Trump ao fomentar teorias da conspiração para seus seguidores. No entanto, o professor destaca as diferenças entre os contextos e modos de atuação dos apoiadores trumpistas dos bolsonaristas. “Aqui no Brasil você não tem, oficialmente, milícias armadas andando nas ruas. Legalizadas, inclusive. Muitos apoiadores do Trump fizeram esse papel durante os meses de campanha. Aqui, as milícias que apoiam o presidente não são oficiais, pelo menos”, pontua.

Clara intenção de golpe

Para Marinho, Bolsonaro jamais escondeu uma apontada intenção de golpear a democracia brasileira, planos que só não foram levados adiante, segundo o cientista, por não haver a oportunidade. “Está claro que a intenção dele é e sempre foi dar um golpe. Ele falou sobre isso antes da eleição, durante o mandato e vai continuar falando. É que, até então, ele não encontrou o momento certo e o apoio suficiente para levar isso a cabo”, comenta.

Segundo o cientista, Bolsonaro, que contaria com o apoio de “alas do militarismo e de pessoas ricas e de extrema-direita”, está deixando claro “para todos que vai, sim, usar do mesmo expediente de Trump”. “Mas na cabeça dele, talvez, ele acredita que consiga obter o êxito que Trump não conseguiu”, conclui.

Goiânia pode manter tabu de eleger prefeito sem alinhamento político com governador

Marcos Marinho (Foto: Arquivo Pessoal)

Tópicos