FolhaPress

Inspirada por Beyoncé, Iza resgata raízes com ‘Gueto’: “Não é bom ser exceção”

Cantora afirma que novo álbum, sem nome, é para não esquecer das origens

Gueto Inspirada por Beyoncé, Iza resgata raízes com ‘Gueto’:
(Foto: Divulgação)

“Eu queria que as pessoas entendessem que não é legal ser exceção, entendeu?”, diz Iza, “cria lá do gueto”, como indica em um verso de sua nova música lançada nesta quinta (3). Na faixa intitulada “Gueto”, a cantora carioca apresenta seu sucesso atual, celebra conquistas e resgata suas raízes do subúrbio da zona norte do Rio.

“Não fala de ostentação, mas de ocupação”, diz por videochamada a artista, que passou parte da infância no bairro de Olaria. “Eu estou me vendo em lugares, assinando contratos, coisas que eu nunca imaginei que eu pudesse fazer. E quero que as pessoas saibam que a gente pode fazer, sim.”

E essa viagem por sua própria história teve como modelo o musical “Black Is King”, de Beyoncé. “Ela me inspirou muito para falar de onde eu vim, me encorajou muito. E isso é mágico. A libertação de você ter orgulho de falar quem é, de contar para o mundo quem você é.”

Para apresentar a canção, Iza fez um pocket show em parceria com a Devassa na noite desta quinta, transmitido pelo Instagram. O evento ainda foi levado para o ambiente offline, com a projeção na região de comunidades de sete capitais do país: São Paulo (Paraisópolis), Rio de Janeiro (Penha), Salvador (Alto de Ondina), Recife (Santa Luzia), Manaus (Av. Tarumã), Natal (Mãe Luiza) e Fortaleza (Parque Manibura).

Já o clipe de “Gueto” vai ao ar nesta sexta (4) e traz imagens lúdicas e coloridas para retratar a periferia —sacolé, banho de mangueira, orelhão e festa na rua estão entre os elementos presentes no vídeo.

Para Iza, a nova música é uma forma de celebrar todas suas conquistas e contratos, sem se esquecer de onde veio. “Não é sobre ostentação, é sobre ocupação. É sobre ter uma mina preta, retinta, ocupando lugares que nunca vi outra ocupando.”