Economia

Inflação fecha em 0,67% no mês de janeiro em Goiânia

Dados são do Instituto Mauro Borges. Alimentação foi o grupo que mais contribuiu para a elevação do índice. Valor é o triplo apontado no mesmo período de 2018


Joao Paulo Alexandre

Do Mais Goiás | Em: 07/02/2019 às 19:16:00


Alimentação puxou inflação para cima no mês de janeiro (Foto: IDEME)
Alimentação puxou inflação para cima no mês de janeiro (Foto: IDEME)

A inflação em Goiânia fechou em 0,67% no mês de janeiro, de acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Mauro Borges de Estudos de Estatísticas e Estudos Socieconômicos (IMB). Segundo o órgão, o índice é maior do que registro em dezembro do ano passado e o triplo apontado no mesmo período de 2018.

Ainda segundo a pesquisa, o acumulado dos doze meses chega a marca de 5,53%. O grupo da alimentação (1,01%) foi o mais contribuiu para a alta da inflação. O feijão carioca (23,58%), banana prata (22,13%), cenoura (19,93%), laranja pera (13,86%) e melancia (13,10%) foram os produtos que mais elevaram o índice.

Os demais alimentos que compuseram a elevação foram cebola (9,89%), batata inglesa (4,93%), margarina (4,32%), óleo de soja (2,54%), leite (5,30%), lombo suíno (3,83%), açúcar (2,11%), refrigerante (3,82%), frango (2,98%), macarrão (2,20%), sal refinado (2,36%) e a cerveja (1,62%).

O grupo da educação também pesou para a alta da inflação, com 2,82%. Mensalidade escolar: ensino fundamental (3,52%), ensino médio (3,31%), uniforme escolar (8,92% e artigos de papelaria (2,39%) foram os que mais ajudaram na elevação do índice.

Despesas pessoais (1,06%) – dando enfoque para o ingresso para partida de futebol (57,89%), habitação (0,44%) – dando destaque para energia elétrica (1,64%) – e saúde e cuidados pessoais (0,91) completam a lista de alta.

Os únicos grupos que reduziram de valor foram o transporte (-1,70%) e o vestuário (-0,39%). De acordo com a pesquisa, dos 205 serviços e produtos pesquisados mensalmente, 95 apresentaram elevação, 85 ficaram negativos e 25 se mantiveram estáveis.