Inflação

Inflação de julho chega a 1,35% em Goiânia

No acumulado do ano o índice já está em 9,03%, acima dos 4,06% no mesmo período do ano passado.





//

Depois de três meses em queda, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Goiânia volta a subir e apresenta variação de 1,35% em julho, taxa superior à registrada no mês anterior (junho), que foi de 0,28%. No acumulado do ano o índice já está em 9,03%, acima dos 4,06% no mesmo período do ano passado.

Nos últimos 12 meses a inflação atingiu 13,6%. A maior desde outubro de 2003 quando foi registrado um acumulado de 17,73%. Os índices foram apurados pelo  Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).

A elevação da inflação em julho foi influenciada sobretudo pelo aumento das passagens de ônibus interestadual que tiveram elevação de 20,14%, pelo reajuste das tarifas de água e esgoto com 19,01%, e pelos ingressos dos jogos de futebol em 16,66%, e cinemas com 8,57%. A elevação da tarifa de energia elétrica em 1,53%, embora menor, em relação às outras tarifas, também é considerada significativa e impactante em relação a outros serviços.

Em julho, dos nove grupos que compõem o IPC-Goiânia, oito apresentaram acréscimo e apenas o de vestuário registrou queda. O grupo alimentação, que em junho apresentou queda de -0,78%, subiu para 0,47% em julho. Entre os itens que contribuíram para o patamar positivo da inflação estão o pão com aumento de 2,22%, a batata com aumento de 4,90% e o feijão carioca com elevação de 2,09%, dentro desse grupo a abobrinha foi o destaque em relação aos aumentos com 9,36%.

A volta às aulas também influenciou o índice de julho com reajustes nos preços dos artigos de papelaria em 0,63% e cursos de informática com aumento de 0,72%. O grupo de vestuário foi o único entre os avaliados que apresentou queda de preços de -0,29%, redução atribuída às promoções em lojas de roupas e acessórios.

Cesta Básica
Para o trabalhador goiano que recebe até um salário mínimo (R$ 788,00) por mês, o valor da cesta básica subiu 0,64% em julho. O custo dos 12 itens que compõem a cesta ficou em R$ 292,07. Alta de 8,93% no ano e de 16,67% nos últimos 12 meses, segundo do IMB/Segplan.

No mês passado, tiveram reajustes de preços os seguintes produtos: leite 2,23%, pão 2,22%, margarina 1,37%, feijão 1,56%, e o açúcar 0,67%. Legumes e tubérculos mantiveram preços estáveis. Tiveram redução de preços as farinhas/massas, com redução de -2,72%; o café com -0,85%, óleo de soja com -1,43%, frutas -2,51% e arroz -0,48%.

Tópicos