ATUALIZAÇÃO

Infecção pulmonar do prefeito Maguito Vilela persiste

"Segue na UTI, em diálise , sedado, traqueostomizado em ventilação controlada, drogas vasoativas em tratamento de infecção pulmonar", diz boletim desta segunda


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 11/01/2021 às 16:01:37

(Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

Infecção pulmonar detectada no prefeito de Goiânia Maguito Vilela (MDB) na última quinta-feira (7) persiste. Segundo boletim do Hospital Albert Einstein deste segunda (11) – onde o emedebista está desde o dia 27 de outubro -, o ex-governador  “segue na UTI, em diálise , sedado, traqueostomizado em ventilação controlada, drogas vasoativas em tratamento de infecção pulmonar”.

A nota é assinada pelos médicos Carmen Barbas, pneumologista; Marcelo Rabahi, pneumologista; e Miguel Cendoroglo, Diretor Médico e de Serviços Hospitalares do Hospital Israelita Albert Einstein. Confira na íntegra:

“O senhor Luís Alberto Maguito Vilela encontra-se internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 27 de outubro para tratamento da Covid-19. Hoje, 11 de janeiro, segue na UTI, em diálise , sedado, traqueostomizado em ventilação controlada, drogas vasoativas em tratamento de infecção pulmonar.”

Vale destacar, Marcelo Rabahi informou, mais cedo, que o prefeito está em estado grave e luta contra uma infecção de bactérias e fungos no pulmão. “Quadro é grave pela fragilidade dele. Não teve piora, mas ainda não voltou ao que estava antes”, avaliou o médico ao G1.

O prefeito eleito chegou a ter melhoras a partir de dezembro, com diminuição da sedação. No natal, Maguito chegou a sorrir ao ver os dois netos, que foram visitá-lo na internação do hospital paulista.

Vai e vem

A saúde do emedebista teve quadros de melhoras e pioras desde o início da internação ainda no dia 20, quando foi diagnosticado com a doença causada pelo coronavírus. Ele foi internado dois dias depois e transferido para São Paulo no dia 27 de outubro com 75% dos pulmões comprometidos. No dia 30 de outubro foi intubado pela primeira vez.

No dia 8 de novembro foi extubado, mas apresentou piora no dia 15 daquele mês e precisou ser intubado novamente. Ainda iniciou tratamento com ECMO, para dar suporte aos pulmões e coração. Já em dezembro apresentou melhoras e a ECMO retirada. No dia 11, no entanto, apresentou sangramentos nos pulmões e teve que passar por cirurgia, mas apresentou melhoras depois do procedimento.

Como dito, o quadro de Maguito teve piora, com novo quadro de infecção na última quinta-feira.

Tópicos