BALANÇO

Índices de criminalidade em Goiás apresentam queda entre janeiro e setembro

Segundo SSP, número de homicídios reduziu em 14,16%, latrocínios caíram 27,08% e lesão corporal seguida de morte 11,11%


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 07/10/2020 às 11:00:47

(Foto: PC/ Divulgação)
(Foto: PC/ Divulgação)

Na última terça-feira (6) a Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) apresentou à Secretaria Nacional de Segurança Pública o balanço dos índices de criminalidade em Goiás. Segundo a pasta local, houve queda, por exemplo, nos números de homicídios, latrocínios, roubos de veículos e estupros, tanto no último trimestre quanto no período de janeiro a setembro.

De acordo com a Secretaria, entre janeiro e setembro deste ano, o número de homicídios reduziu em 14,16%, latrocínios caíram 27,08% e os registros de lesão corporal seguida de morte tiveram queda de 11,11%.

Os roubos de todos os tipos também apresentaram redução: de veículos reduziu em 41,41%; de cargas, 41,84%; a transeuntes, 33,66%; em residências, 28,54%; e em comércios, 26,09%. Na zona rural, o número de roubos em propriedades caiu em 42,40%. Em relação aos roubos a instituições financeiras, Goiás está há 17 meses sem registros, afirma a SSP.

Comparação

Em comparação com os meses de julho, agosto e setembro de 2019, a redução de homicídios foi de 7,08%; estupro, 42,79%; tentativa de homicídio, 12,66%; lesão corporal seguida de morte, 50%; roubo de veículos, 49,56%; roubo de carga, 55,26%; roubo a transeunte, 44,81%; roubo em residência, 37,08%; roubo em comércio, 44,07%; roubo em propriedade rural, 44,12%.

Quando comparados os dados de 2020 com os de 2018, os crimes de homicídio reduziram em 31,40%; latrocínio, em 56,25%; lesão corporal seguida de morte, 61,90%; roubo de veículos, em 75,70%; roubo de carga, 75,98%; roubo a transeunte, em 60,83%; roubo em residência, 36,52%; roubo em comércio, 59,33%; roubo em propriedade rural, 48,38%; e roubo a instituições financeiras, 100%.

Produtividade

Segundo Rodney Miranda, secretário da SSP-GO, desde o início de 2019 foram realizadas 8.521 prisões, lavrados 46.437 autos de prisão em flagrante e 1.672.468 abordagens.

“Foram mais de 32,8 mil operações em Goiás. Apreendemos uma quantidade superior a 100 toneladas de drogas e mais de 10 mil armas de fogo. Só na zona rural, o número de operações deflagradas em 21 meses passa de 60, com pelo menos 120 prisões, recuperação de mais de 450 cabeças de gado e apreensão de cerca de 75 armas de fogo”, afirma Miranda.

Rodney explica que, até o momento, foram realizadas mais de 150 operações de combate à corrupção nos últimos 21 meses, gerando uma expectativa de economia de mais de R$ 1 bilhão até 2022. “Isso se deve pelo desmanche de quadrilhas que agiriam por anos desviando recursos públicos”, diz.