Do Mais Goiás

Incêndios florestais tem aumento de 8,4% em comparação ao mesmo período de 2020 em Goiás

Segundo o Corpo de Bombeiros alta vem sendo uma tendência dos últimos anos

Incêndios florestais tem aumento de 8,4% em comparação ao mesmo período de 2020 em Goiás
Incêndios florestais tem aumento de 8,4% em comparação ao mesmo período de 2020 em Goiás - (Foto: divulgação)

Em Goiás, os números de incêndios florestais aumentaram 8,4% em comparação aos primeiros oito meses do ano passado. Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros do Estado, Ailton Pinheiro de Araújo alta vem sendo uma tendência dos últimos anos.

Contabilizamos até o mês de agosto com dados já consolidados, comparando os primeiros meses do ano passado com os primeiros oito meses de 2021, temos um aumento de 8,4% no em ocorrências de incêndios florestais”, afirma.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros a tendência é de aumento se observado os últimos anos. “No ano passado foi o período que teve maior incidência em relação aos últimos 10 anos e esse ano até o momento está superando o ano passado”, explica.

Bombeiros utilizam de tecnologias para combate aos incêndios

De acordo com o tenente Ailton Pinheiro de Araújo, a corporação tem se adaptado e utilizado as tecnologias para traçar estratégias de prevenção e combate aos focos de incêndio.

Temos utilizado de alguns recursos tecnológicos, como o uso do drone e a nossa sala de monitoramento via satélite onde identificamos os focos de calor através de dados do Inmet. Temos utilizado alguns aplicativos de navegação para uso em campo, GPS, Bússola e outros para montar estratégia de combate aos focos”, explicou.

Incêndio ambiental

Com foco somente nos incêndios ambientais, segundo dados levantados pelo Corpo de Bombeiros do Estado, desde 2011 a corporação já atendeu uma média 6,5 mil ocorrências de combate a incêndios em vegetação por ano, especialmente no Cerrado.

Vale destacar, o Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil e durante o período de seca as vegetações podem sofrer queimadas espontâneas. Esses focos naturais de incêndio são considerados benéficos para a germinação de sementes e para a ciclagem de nutrientes do solo. No entanto, ações humanas têm feito com que fogo criminoso se alastre por regiões cada vez mais extensas, ocasionando, muitas vezes, o esgotamento das terras, erosão e o extermínio de espécies nativas.