Destruição ambiental

Incêndio na Chapada dos Veadeiros pode ser controlado até este fim de semana

Fogo já destruiu mais de 26% da área do parque. Cerca de 200 brigadistas estão no local para o controle dos focos


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 26/10/2017 às 10:14:08

Incêndio é o pior da história da Chapada. (Foto: Divulgação/ICMbio)
Incêndio é o pior da história da Chapada. (Foto: Divulgação/ICMbio)

O incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros começa a ser controlado e pode acabar neste fim de semana, segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMbio). As chamas, que tiveram início no último dia 17,  já destruíram mais de 26% do parque, ou seja, cerca de 60 mil hectares. Esse é o maior incêndio que já atingiu a reserva, que é considerada Patrimônio Mundial pela Organizações das Nações Unidas (ONU). Mais de 200 pessoas trabalham no combate às chamas representando entidades como ICMbio, Ibama, Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e de Goiás, Polícia Rodoviária Federal e Grupo de Ambientalistas do Torto.

Em algumas frentes de trabalho os focos já foram extintos, como no Vale da Lua, na região de Mulungu e da Cara Preta. Nessas áreas, monitoramentos estão sendo feitos para evitar que novas chamas surjam. O ICMbio informou em nota que também foram extintos os focos nas áreas da visitação, o que garantiu a preservação de trilhas e atrativos naturais.

Porém, alguns focos estão em regiões de difícil acesso e necessitam de uma atenção mais especial para um trabalho mais eficaz, como as serras de Santana e do Ministro. Pensando nisso, a Força Aérea Brasileira disponibilizou avião de modelo Hércules-130 para ajudar no lançamento de água sobre as chamas.

Incêndio criminoso

O fogo colocado no local é tratado como de origem criminosa, já que o período para ocorrência de incêndios de forma natural já havia passado quando surgiu o primeiro foco, no dia 10. O ICMbio destaca que incêndios ocorridos no final da seca são mais perigosos, principalmente na sua rapidez de propagação, já que as folhas e os capim estão secos e a força do vento contribui muito para esse processo.

O Instituto também destaca que a Polícia Federal pode assumir o caso para instigação, já que o parque é uma reserva ambiental de âmbito federal. No momento, a Polícia Civil goiana trabalha no caso, já que alguns focos tiveram início fora do parque. Caso a pessoa responsável seja identificada, ela poderá responder por crime ambiental e pode pegar até quatro anos de prisão. Ainda terá que pagar multa de até R$ 5 mil por hectare queimado. O ICMbio informou que vai disponibilizar laudos técnicos para ajudar a perícia.

Atualmente, a Polícia Militar do Estado realiza rondas na área do parque para coibir que novas chamas surjam nas margens das rodovias que cortam o parque.

Campanhas

Vários artistas e celebridades manifestaram apoio por meio das redes sociais às campanhas de arrecadações de donativos para os voluntários que trabalham no combate aos focos. A top model Gisele Bündchen utilizou o Twitter para pedir ajuda à Chapada.

Além de artistas, uma página intitulada como Rede Contra Fogo, iniciou uma campanha para arrecadar cerca de R$ 280 mil para auxiliar no combate às chamas. O valor seria utilizado para alimentação dos brigadistas, treinamento para a sociedade que queiram ajudar no combate, compra de combustível e adquirir novos equipamentos. Até o final da tarde de ontem (25), cerca de 3.240 pessoas já haviam contribuído com o projeto.

O restaurante Universal Diner, localizado na capital federal, também está doando parte do lucro do local para ajudar no combate do incêndio. O estabelecimento também está recebendo doações em dinheiro e materiais que auxiliem no trabalho dos envolvidos.