Robótica

IA do Google cria criptografia própria e troca recados no laboratório

Eles estão chegando




O dia em que nossos mestres e senhores robóticos vão assumir o controle está cada vez mais próximo: a Google divulgou mais uma novidade assustadora do seu programa Google Brain de desenvolvimento de inteligência artificial.

 

Segundo o relatório, os cientistas permitiram que três redes neurais individuais – nomeadas Bob, Alice e Eve – criassem seu próprio código de criptografia e trocassem mensagens secretas entre si.

 

Segundo artigo publicado na New Scientist o exercício funcionou assim: Alice devia enviar uma mensagem que só Bob pudesse ler enquanto a Eve tentaria espionar e decifrar a mensagem sozinha.

 

Depois de 15 mil mensagens, Alice criou seu próprio código feito de tal maneira que apenas Bob pudesse entender. A essa altura, Eve estava mal: apenas tentava chutar qual fora a mensagem secreta.

 

Os cientistas também não compreenderam a mensagem. O objetivo do exercício, obviamente, é aprender mais sobre como ensinar as máquinas, já que o que o Google quer é criar máquinas capazes de aprender e de reagir organicamente a problemas –  pense em algo como o carro de Supermáquina.

 

Mas é claro que os robôs também podem usar tudo isso para trocarem mensagens sobre dominação global entre si.