Ética

Humberto Aidar afirma que Conselho de Ética vai atuar com isenção e autonomia

“Não haverá julgamento político”, disse ele, em entrevista à Rádio 102,9 FM





//

Empossado presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa de Goiás, o deputado Humberto Aidar (PT) afirmou nesta quinta-feira (28/05), durante entrevista à Rádio Clube 102,9 FM, que o órgão vai agir com rigor e isenção, descartando a possibilidade de interferência externa. “Não haverá julgamento político”, frisou ele.

Humberto Aidar deixou claro também que o Conselho de Ética só vai agir em caso de denúncias ou acusações de quebra de decoro a partir da data de sua instalação oficial, estando fora de julgamento qualquer fato ocorrido anteriormente.

Segundo ele, o desentendimento verificado na semana passada entre os deputados Major Araújo (PRP), José Vitti (PSDB) e Francisco Oliveira (PHS), em tese, poderia ser enquadrado como quebra de decoro. “Deputado foi eleito para atuar com responsabilidade e não para brigar ou fazer agressões verbais aos colegas”, justificou.

O deputado do PT aproveitou para elogiar a gestão do presidente da Assembleia Legislativa, Helio de Sousa (DEM), ressaltando o compromisso da Mesa Diretora com a ética e transparência dos atos do Poder Legislativo.

Segundo ele, houve um grande avanço nesta administração, sobretudo na busca por uma melhor imagem do poder perante a sociedade, incluindo o Portal da Transparência e a implantação do ponto eletrônico para os servidores.

Mas o deputado quer mais: “Meu sonho é ver também o corte de ponto para deputados faltosos e a redução do recesso parlamentar para apenas 30 dias. Se o trabalhador só tem 30 dias de férias, não se justifica que o deputado tenha um recesso de quase 90 dias”.