Segurança pública

Homicídios caem 14% em Goiás

Taxa é a menor de julho, desde 2011; recuo foi de 7,1%, em Goiânia, 6,3% na Região Metropolitana




//
//

A ofensiva do governo de Goiás no enfrentamento à criminalidade está derrubando os índices de violência no Estado. Dados divulgados, na tarde de ontem, pela Secretaria de Segurança Pública mostram que Goiás teve o menor número de homicídios, para o mês de julho, desde o ano de 2011, com queda de 14,7% nas ocorrências no comparativo com o mesmo mês do ano passado.

Os números foram impactados pela redução, de 7,1%, em Goiânia, 6,3% na Região Metropolitana da Capital, 38,4% no Entorno do Distrito Federal e 68,7% em Anápolis. Os dados são da Seção de Análise Criminal da Gerência do Observatório da Segurança Pública do Estado de Goiás. De acordo com os dados da Gerência do Observatório da Segurança, foram registrados, em Goiás, 197 homicídios em agosto de 2014, ante 231 ocorrências no mesmo mês de 2013.

Em relação a julho, quando ocorreram 211 crimes de morte no Estado, o recuo foi de 6,6%. A queda no número absoluto também refletiu na taxa por 100 mil habitantes, que caiu 15,8% em agosto. A taxa é a metodologia internacionalmente utilizada para análise da violência e criminalidade. A tendência é observada desde novembro de 2013, com exceção de junho, quando houve um pico de mortes.

Em Goiânia, os 52 homicídios ocorridos, em agosto, representaram 7% menos diante os 56 registrados no mesmo mês do ano passado. Em relação a julho (que teve 53 casos), houve estabilidade. Na Região Metropolitana da Capital, o número de homicídios, em agosto, foi de 99 – em 2013, no mesmo mês, foram 104. No Entorno do Distrito Federal, região formada por 19 municípios, ocorreram 40 crimes de morte, quando, em agosto do ano passado, foram 65.

Terceira maior população do Estado, com mais de 360 mil habitantes, Anápolis teve uma queda expressiva no número de homicídios, em agosto, com registro de cinco casos. No comparativo com o mesmo mês de 2013, que teve 16 mortes, a diminuição é de 68,7%. Entre os maiores municípios goianos, apenas Aparecida de Goiânia observou alta, em agosto, com 32 casos (quatro a mais que os 28 homicídios de agosto de 2013).

Desde 2011, o governo Marconi Perillo vem implantando uma série de ações, programas e investimentos para derrubar os índices de criminalidade no Estado. A administração realizou pesados investimentos nos últimos três anos e meio na área de segurança pública para fazer frente ao avanço da violência nas últimas décadas, registrado em todo o Brasil.

Os recursos foram aplicados em melhorias salariais, na ampliação do efetivo das polícias Civil e Militar, aquisição de equipamentos e viaturas e na reformulação dos processos de gestão do setor. Segundo dados da SSP, os investimentos totais em Segurança, entre 2011 e 2013, cresceram 27% em relação aos três anos anteriores. No ano passado o governo estadual aplicou R$ 1,6 bilhão no setor.

Na área do Planejamento Estratégico, a Secretaria de Segurança Pública vem atuação na condição de políticas estabelecidas para um período de 10 anos, de 2012 a 2022, e no alinhamento às diretrizes do Plano Plurianual do Estado e no Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI). O principal programa é o Goiás Cidadão Seguro, que estabeleceu o alinhamento geográfico entre as circunscrições das Polícias Civil e Militar, criando as chamadas Regiões Integradas de Segurança (RISPs) e Áreas Integradas de Segurança (AISPs) .

O foco principal da atuação das polícias é a redução dos homicídios, com o estabelecimento de metas em comum para a redução de índices criminais, explica o secretário da Segurança, Joaquim Mesquita. Segundo ele, a SSP vem atuando na elaboração de planos de ação integrados entre as Polícias Civil e Militar, de acordo com relatórios detalhados de análise criminal do fenômeno criminal.

Monitoramento

Mesquita explica ainda que a secretaria vem atuando no monitoramento e nas avaliações contínuas através de reuniões entre os comandos, SSP e unidades policiais. “Essa metodologia empregada pela SSP recebeu aprovação do Tribunal de Contas da União, que considerou a governança e gestão em Segurança no Estado de Goiás como a segunda melhor do Brasil”, lembra o secretário, citando recente relatório e parecer do TCU sobre os Estados que mais investiram a acertaram na área de governança voltada para a Segurança Pública.

Outro foco da atuação da administração de Marconi Perillo tem sido o fortalecimento, capacitação e profissionalização do trabalho de Análise Criminal, coleta e difusão dos números dos indicadores criminais em Goiás. Por isso, explica o secretário Mesquita, estudo Fórum Nacional de Segurança Pública, divulgado recentemente, colocou Goiás dentre os Estados com alta qualidade na inserção e divulgação de dados criminais.

No bojo das ações estão pesados investimentos em inteligência, essenciais para que o esclarecimento dos crimes, localização e prisão de suspeitos e sustentação sólida dos inquéritos criminais. A SSP adotou, nesta gestão, explica Mesquita, modernas ferramentas tecnológicas de inteligência, voltadas tanto para diagnósticos estratégicos da criminalidade quanto para  suporte ao trabalho de investigação dos delitos. Somente em inteligência o Governo de Goiás aplicou R$ 22 milhões nesta gestão.