Homicídio

Homem suspeito de matar vizinho é preso em Caldas Novas

O crime ocorreu no dia 5 de janeiro. A motivação seria pelo fato da vítima ter danificado pés de fava no terreno vizinho


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 22/01/2019 às 18:59:34

(Foto: Divulgação/PC)
(Foto: Divulgação/PC)

A Polícia Civil (PC) cumpriu mandato de prisão temporária na tarde desta terça-feira (22) contra Wanderson Evaristo Silva, de 24 anos. Ele teria matado o vizinho, João Eudes Teixeira de Souza, 41, no Conjunto de Chácaras do Setor Serrinha, em Caldas Novas.

De acordo com a PC, o autor do homicídio e a vítima eram vizinhos de cerca e tiveram uma discussão sobre invasão de propriedade. Em depoimento, o suspeito afirmou que a vítima havia danificado um pé de fava (espécie de grão semelhante ao feijão) que estava em sua propriedade. Em contrapartida, João teria acusado Wanderson de permitir que um cachorro entrasse no quintal dele e destruísse as plantas de lá.

A vítima, João Eudes Teixeira de Souza, de 41 anos (Foto: Divulgação/PC)

“Esses foram os únicos motivos apontados pelo suspeito, justificando a ação”, conta o delegado responsável pelo caso, Wllisses Valentim. Ele diz ainda que, dois dias após o ocorrido, Wanderson, que estava foragido, contratou um advogado, se apresentou na Delegacia e deu uma versão sobre o que teria acontecido e motivação do crime. “Entretanto reunimos elementos que contradizem a versão dada por ele”, afirma o delegado.

Em nota, a PC informa que o suspeito teria disparado três tiros contra João Eudes com uma espingarda. As balas atingiram o toráx, o pescoço e o braço esquerdo da vítima, que morreu no local. A arma ainda não foi localizada. “Ele disse que a perdeu no momento da fuga, o que não acreditamos muito”, conta o responsável pela investigação.

Wanderson, que alegou ter efetuado os disparos por legítima defesa, está preso na cadeia local, à disposição da Justiça. Nos próximos dias, os vizinhos, que estavam com medo de depor devido o suspeito ainda estar solto, irão prestar depoimentos sobre o caso.

*Larissa Lopes é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo