Do Mais Goiás

Homem ‘sente vontade de matar’ e ataca três vítimas em bar de Nerópolis

Um das vítimas morreu nesta segunda-feira (13)

A Polícia Militar (PM) prendeu um homem suspeito de ir a um bar de Nerópolis e esfaquear três pessoas por 'sentir vontade de matar'. O investigado teria desferido os golpes no pescoço de duas vítimas e nas costas e no abdômen de outra. O caso aconteceu neste domingo (12). - A Polícia Militar (PM) prendeu um homem suspeito de ir a um bar de Nerópolis e esfaquear três pessoas por 'sentir vontade de matar'. O investigado teria desferido os golpes no pescoço de uma vítima; no abdômen e nas costas das outras. - Homem vai até bar e esfaqueia três pessoas por 'sentir vontade de matar', em Nerópolis
Imagem ilustrativa (Foto: Reprodução/Freepik)

Um homem que se disse controlado por uma súbita ‘vontade de matar’ atacou três vítimas em um bar de Nerópolis no último domingo (12). Este homem usou uma faca para ferir duas pessoas no pescoço e uma no abdômen e costas. A Polícia Militar (PM) prendeu o sujeito.

O capitão Almir de Aquino afirma que o homem é um andarilho, morava em Anápolis e estava em Nerópolis há cerca de dois dias. Ele disse aos policiais que sentiu vontade de cometer os homicídios, entrou no bar portando uma faca na cintura e cometeu os crimes.

Ainda de acordo com o capitão da Polícia Militar, ele escolheu uma vítima aleatória e desferiu os golpes. Duas pessoas entraram no meio da confusão na tentativa de defender o rapaz, que foi golpeado, e também foram acertados pelo homem. Almir disse que todos foram atendidos, mas a primeira vítima não resistiu aos ferimentos e morreu nesta segunda-feira (13).

Homem que foi até bar e esfaqueou três pessoas por ‘sentir vontade de matar’ pode ter transtornos psicológicos

A psicanalista Hellen Barbosa disse que o suspeito em questão pode ter pode ter algum tipo de transtorno psicológico, mas nada pode ser afirmado ou diagnosticado sem a análise de profissional sobre o caso.

“Há uma diferença entre um psicopata e uma pessoa que teve uma psicose. O psicopata não sente empatia ou culpa pelas suas ações. Ele não pensa ‘aquela pessoa vai sofrer’ ou ‘aquela pessoa pode ter uma família’. Já o psicótico pode ouvir vozes de comando que dizem para ele matar as pessoas e, depois de consumado, ele se sente culpado. Mas tudo deve ser analisado”, explicou a profissional.

Hellen diz que pedir ajuda e manter uma rede de apoio é a melhor solução. “O psicótico e o posicopata devem ser levados a um profissional. Porque ambos podem ter esse tipo ação sem muito senso crítico”, finalizou.