Homem que estuprou e matou funcionária da Comurg é condenado a 26 anos de prisão

Crime aconteceu no dia 17 de dezembro de 2018, no Parque Anhanguera, em Goiânia, enquanto a vítima trabalhava

omem que estuprou e matou funcionária da Comurg é condenado a 26 anos de prisão

O jurí popular condenou, Péricles Teodoro da Silva a 26 anos de reclusão pelo estupro e morte de Ilma Gonçalves Ferreira, de 60 anos, funcionária da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg). O crime aconteceu no dia 17 de dezembro de 2018, no Parque Anhanguera, na capital goiana. O referido julgamento aconteceu nesta quinta-feira (22).

Conforme a sentença, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) pediu a condenação pelos dois crimes. Já a defesa do acusado pediu a desqualificação do crime de estupro para a redução da pena, alegando que o réu não era totalmente capaz de responder pelos seus atos. Porém, os jurados não acataram os argumentos da defesa.

Por fim, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, que presidiu a sessão, o penalizou a 18 anos pelo homicídio e a 8 anos pelo crime de estupro, que somadas, totalizam 26 anos em reclusão.

O Mais Goiás entrou em contato com a Defensoria Pública do Estado de Goiás, mas sem sucesso. O espaço está aberto para manifestação

O crime

Conforme a denúncia do Ministério Público, os crimes aconteceram no dia 17 de dezembro de 2018, no Parque Anhanguera enquanto a idosa trabalhava.

O condenado tentava furtar um veículo, quando a vítima passava caminhando pelo local e notou a conduta suspeita de Péricles e sua tornozeleira eletrônica. Em seguida, avisou o motorista, que estava parado verificando os pneus do carro, sobre a conduta suspeita do réu.

Com raiva da vítima que atrapalhou os seus planos, o condenado a seguiu e a conduziu para uma área de vegetação e abusou sexualmente da vítima. Em seguida, desferiu vários golpes usando um pedaço de madeira, matando-a.

*Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira