Homem que atropelou ex-mulher e filho segue preso após audiência de custódia

MP declarou que o caso foi muito grave e que a conversão da prisão evitaria que Cristiano pudesse realizar atos semelhantes. Juiz alegou que flagrante obedeceu todos os argumentos legais


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 07/08/2019 às 17:12:28

Cristiano Barbosa Pereira segue preso após a audiência de custódia (Foto: Vitor Santana/G1)
Cristiano Barbosa Pereira segue preso após a audiência de custódia (Foto: Vitor Santana/G1)

O motorista Cristiano Barbosa Pereira, de 33 anos, teve a prisão convertida em preventiva após audiência de custódia realizada na manhã desta quarta-feira (7), em Goiânia. A decisão foi dada pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara. O homem teria atropelado a ex-esposa, Suellen Cristina Ferreira, de 28, e o filho de cinco anos, no Jardim da Luz, na tarde desta terça terça-feira (6).

O Ministério Público (MP-GO), por meio do promotor Geibson Rezende, alegou que o caso foi muito grave e que havia necessidade em converter a prisão em preventiva para evitar que Cristiano realizasse atos semelhantes. O juiz também ponderou que o flagrante obedeceu todas os argumentos legais.

O Mais Goiás entrou em contato com o advogado Werner Von Braun de Oliveira, que representa a defesa de Cristiano, mas nossas ligações não foram atendidas.

Relembre o caso

O atropelamento foi por volta das 13 horas de terça-feira (6) na Rua Caramuru com a Avenida General Rondon, no Jardim da Luz. Segundo informações da Polícia Militar (PM), o possível seria que Cristiano não aceitava o fim do relacionamento com a vítima.

Mãe e filho estavam junto com a irmã e a sobrinha do suspeito. Elas alegaram que Cristiano tentou atropelá-las mas não conseguiu. Depois, ele manobrou o veículo e atingiu a ex-mulher e a criança. Com o impacto, o carro bateu contra o muro de uma residência. Ele foi preso em flagrante após ser contido por populares.

À delegada Paula Meotti, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), Cristiano apresentou versões confusas. Ele alegou que estava nervoso e que a intenção era apenas de assustar as vítimas. “Por outro lado, os familiares de Cristiano disseram que ele havia gritado antes do ocorrido que queria matá-los”, afirmou Paula.

“Ele disse que não foi por conta da separação, e, que inclusive ele já estava em outro relacionamento e estava separado da esposa há cerca de 30 dias”, conta a delegada. Mais uma vez os parentes dele o contradisseram e afirmaram que Cristiano e a vítima estavam separados há dois dias e que ele não aceitou o término.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas passam bem e não correm risco de morrer.

Veículo ficou destruído após bater o muro (Foto: Divulgação/PM)