FolhaPress

Homem procura dente de tubarão em rio e acaba com cabeça mordida por jacaré

O mergulhador levou 34 pontos no ferimento e também sofreu escoriações nas mãos

Um mergulhador em busca do dente de um tubarão pré-histórico teve a cabeça mordida por um jacaré morder na Flórida, EUA. (Foto: reprodução/Youtube)
Um mergulhador em busca do dente de um tubarão pré-histórico teve a cabeça mordida por um jacaré morder na Flórida, EUA. (Foto: reprodução/Youtube)

Um mergulhador em busca do dente de um tubarão pré-histórico no rio Myakka, no estado americano da Flórida, está em recuperação após um jacaré morder a parte de trás de sua cabeça durante a expedição.

Jeffrey Heim sofreu uma fratura no crânio no ataque, que aconteceu há uma semana, no domingo (30). Ele foi obrigado a levar 34 pontos no ferimento e também sofreu escoriações nas mãos diante do embate com o animal.

O homem de 25 anos sentiu algo em suas costas e pensou que havia encostado na hélice do barco, mas ao olhar para trás viu o jacaré olhando para ele.

“Era algo pesado e que estava se movendo muito rápido”, contou o mergulhador à CNN. “Pareceu sem corte, não parecia que estavam me cortando, senti algo me puxando”, descreveu Heim.

Ele contou à mídia americana que já havia mergulhado no mesmo rio diversas vezes e que entrou na água em uma área pública para visitantes, próxima a um restaurante.

O homem contou que ainda passou 10 minutos averiguando a possível presença de jacarés na área, enquanto colocava sua roupa de mergulho, mas não viu nada antes de entrar na água.

Heim estava mergulhando sem tanques de oxigênio, então tomou ar e desceu do barco na esperança de achar um dente de megalodon em meio ao cascalho no fundo do rio. Ele estava mergulhado há cerca de 45 segundos quando o jacaré atacou.

Depois das primeiras mordidas, o mergulhador conta que conseguiu se livrar do animal e nadar de volta até a margem, enquanto o animal continuava investindo contra ele.

O americano lembra que os primeiros socorros foram feitos por um ex-bombeiro que estava no restaurante das proximidades e colocou gaze em volta de sua cabeça enquanto outros clientes chamavam a emergência.

Heim disse que se sentiu muito cansado após o incidente e queria dormir, mas teve medo de que fosse morrer, se esforçando para ficar acordado até chegar ao hospital, onde fez piadas sobre a situação.

Apesar da reação inicial, logo ele disse que viveu “um momento de muita emoção e fé”, ao ver o resultado do exame em sua cabeça, feito na UTI, mostrando que, por sorte, as mordidas não atingiram partes importantes.

O mergulhador passou um dia e meio no hospital, onde o tratamento já reduziu bastante o inchaço, e agora segue tratamento em casa para superar possíveis infecções.

Segundo a CNN, a Comissão de Conservação da Vida Selvagem na Flórida (FWC) detalhou que os jacarés estão passando pela temporada de acasalamento, quando ficam mais ativos nas águas.

“Eu provavelmente me desliguei demais mergulhando durante a temporada de acasalamento”, avaliou Heim. “Deveria ter pensado mais”, concluiu ele na entrevista à CNN Internacional.

Apesar do ataque, ele afirma que não deseja que o jacaré seja sacrificado, argumentando que o animal deve ter encarado a situação como uma ameaça.

Autoridades da FWC e um caçador de jacarés particular foram enviados à região para investigar o incidente, segundo comunicado da comissão.

Um animal de 2 metros já foi retirado da área e outro estaria sendo procurado.

Ao comentar sobre o futuro, Heim diz que sua procura por fósseis é uma maneira que encontrou de relaxar, além de conseguir ganhar dinheiro com algumas de suas descobertas. Ele pretende continuar se aventurando em busca das peças históricas, mas longe do rio Myakka.