FEMINICÍDIO

Homem mata ex-companheira a tiros no Distrito Federal

Suspeito tentou fugir, foi perseguido pela polícia e cometeu suicídio, segundo autoridades


Laylla Alves
Do Mais Goiás | Em: 12/01/2021 às 17:10:14

Homem mata ex-companheira a tiros no Distrito Federal (Foto: Reprodução | Arquivo pessoal e Polícia Civil)
Homem mata ex-companheira a tiros no Distrito Federal (Foto: Reprodução | Arquivo pessoal e Polícia Civil)

O ex-marido de Marley de Barcelos Dias, 54 anos, é o principal suspeito matá-la a tiros, na madrugada desta terça-feira (12), em Sobradinho, no Distrito Federal. A professora aposentada já tinha duas medidas protetivas contra ele.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Geovane Geraldo Mendes, 44, pulou o muro e invadiu a casa da vítima. Depois de entrar, disparou três vezes contra ela.

Ainda de acordo com os bombeiros, vizinhos escutaram os tiros e viram o autor do crime fugir do local. A vítima foi atingida na região do tórax e morreu no local. Os investigadores informaram que o filho de Marley viu o assassinato – a idade dele não foi informada.

O suspeito saiu em um Jetta branco, carro que pertencia à professora. Horas depois, Geovane foi perseguido por policiais militares. Os agentes informaram que, durante a tentativa de prisão, o suspeito usou a arma do crime para cometer suicídio, em São Gabriel, em Goiás.

Medidas protetivas

Marley tinha medidas protetivas contra o ex-companheiro. A professora registrou duas ocorrências contra Geovane, por perturbação e ameaça, no âmbito da Lei Maria da Penha.

De acordo com os processos registrados no Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), o casal tinha uma relação há cinco anos e não possuía filhos juntos. O documento mostra que, em 2014, Marley registrou ocorrência na Polícia Civil contra o companheiro.

Na época, ele ameaçou e causou danos materiais à mulher. A Justiça, então, concedeu, pela primeira vez, medidas protetivas contra o investigado.

Cerca de um ano após o deferimento da medida, o casal teria se reconciliado, e os dois passaram a morar juntos. Em 25 de maio do ano passado, no entanto, Marley pediu para que ele deixasse a residência e passou a ser incomodada. Foi quando, em junho de 2020, conseguiu a segunda medida protetiva.

Feminicídios

Este já é o segundo caso de feminicídio no Distrito Federal, neste ano. Isabel Ferreira Alves, de 37 anos, foi assassinada com uma facada no tronco. O suspeito do crime é o marido da vítima. O sepultamento ocorreu nessa segunda-feira (11), em Taguatinga.

Em Goiânia, Brenda Rafaella, 23, foi agredida até a morte, neste último domingo (10), pelo namorado, que confessou o crime. Segundo testemunhas, a jovem estava grávida e já tinha sido agredida outras vezes pelo companheiro.

*Com informações do G1 e do Correio Braziliense

*Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira