FolhaPress

Homem joga pedra em bebê e mãe denuncia racismo: ‘Me chamou de suja’

Caso aconteceu na última sexta-feira (4) enquanto a mãe e a criança brincavam na área de lazer de um condomínio

Caso aconteceu na última sexta-feira (4) enquanto a mãe e a criança brincavam na área de lazer de um condomínio
Caso aconteceu na última sexta-feira (4) enquanto a mãe e a criança brincavam na área de lazer de um condomínio (Foto: divulgação/ UOL)

Um homem morador do bairro Botafogo, em Campinas (SP), atacou pedras e dirigiu ofensas na sexta-feira (4) a uma mulher e a uma bebê de 1 ano que brincavam em uma área de lazer de um condomínio fechado. Em vídeo compartilhado nas redes sociais, o homem chega a dizer que não colocou “essa m**** dessa criança no mundo”.

A mãe da garota, Júlia Barros de Andrade, e seu marido brincavam com a filha, de 1 anos e 6 meses, no parquinho do prédio por volta das 20h30, quando começaram a ouvir as reclamações, segundo relatou à EPTV.

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra o agressor discutindo com outros moradores e gritando contra a mulher:  Além das imagens, Julia diz registrou um boletim de ocorrência após sofrer injúria racial do homem. “Me chamou de suja, me chamou de encardida, falou que eu tinha que voltar para o lugar de onde eu vim, que o que eu coloquei no mundo foi uma indigente. Ele discutia com o meu marido, mas não ofendia meu marido. Ele só ofendia a mim a minha filha”, disse a mulher, à TV.

Mais de 20 ocorrências de desentendimentos envolvendo o mesmo homem já foram registradas na delegacia. Moradores dizem que ele se irrita facilmente com barulhos que “o impedem de trabalhar” e começa a jogar lixo, restos de comida e pedras nas pessoas.

Outro morador do prédio, que também é pai de uma criança pequena, relatou uma situação semelhante sem se identificar. “Ele alega que incomoda, que ele está trabalhando em casa, aí ele perde o controle. Inicialmente ele jogava lixo, jogava restos de comida, restos de recicláveis, tanto ele como a esposa dele e depois ele começou a ir pra uma ação de tacar pedras, quase acertou meu filho. Passou a 20 centímetros dele”, relata.

Reclamações como danos a faróis de veículos, agressão a idosas e outras crianças também foram registradas pela vizinhança. O homem, que mora a alguns metros do condomínio, foi procurado pela reportagem da emissora, mas uma mulher de dentro da casa disse ele não mora mais no local.