Homem flagrado batendo em cadela se diz arrependido e se apresentará à polícia

Delegado informou que ele não está em Goiânia e irmã do suspeito se comprometeu de apresentação acontecer na segunda-feira; autor tem casal de pit bulls


Jairo Menezes

Do Mais Goiás | Em: 22/02/2018 às 14:58:22


(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

A cadela Zaila tem sete anos e vive em casal com outro pit bull na casa do homem flagrado dando uma surra com chutes e murros. As imagens circularam As redes sociais, nessa quinta-feira (22), após a publicação do exagero pelo Mais Goiás. O fato aconteceu às 17 horas no Bosque do Café, no Setor Santa Genoveva. O autor da agressão é um jovem que se formou em direito ontem e estaria foram da capital, segundo informou a irmã ao delegado que já está investigando o caso.

Segundo o titular da Delegacia estadual de meio Ambiente Luziano de Carvalho, uma mulher que se identificou como irmã do suspeito entrou em contato com a delegacia e pediu que ele se apresentasse na próxima segunda-feira (26). O delegado disse que o rapaz já está identificado, que inclusive é um bacharel de direito recém formado, e que, caso não se apresente, será intimado a comparecer e prestar esclarecimentos.

Segundo Luziano de Carvalho, a irmã do rapaz disse que ele tem muito cuidado com o casal de pit bulls que tem, mas perdeu a cabeça quando Zaila saiu correndo de casa. “A mulher disse que a cadela tem sete anos, e que se chama Zaila. Ela contou que ele perdeu a cabeça, e que nunca agiu dessa maneira com os animais, mas no meu entendimento houve um exagero e vamos esclarecer essa questão.”

CENAS
Uma testemunha disse ontem ao Mais Goiás que estava na rua e por gostar muito de animais, começou a fazer um vídeo de uma cadela que estava solta na rua. Ela conta que as pessoas que faziam caminhada reconheceram o animal, e já iriam chamar o proprietário, que apareceu com o carro no momento.

CONTRADITÓRIO
Desde a publicação do fato o Mais Goiás tenta ouvir o rapaz responsável pelo fato, mas ele não atende as ligações e não responde mensagens. À redação o rapaz encaminhou uma mensagem via WhatsApp e justificou: “Ela saiu correndo atrás de um gato em uma situação que não costuma acontecer, e não me obedeceu quando falei para parar. Tive que voltar em casa pra buscar o carro e ir procurar ela. Estou arrependido de ter corrigido da forma que fiz, porém vou entrar em contato com os responsáveis pela investigação.”