Estupro de Vulnerável

Homem é preso suspeito de abusar enteada de 12 anos, em Montes Claros de Goiás

O padrato engravidou a adolescente e a obrigou a tomar um chá abortivo. Ele confessou o crime e foi preso


Kayque Juliano
Do Mais Goiás | Em: 01/12/2018 às 17:02:29

O suspeito confesso pode responder pelos crimes de estupro de vulnerável e tentativa de aborto
(Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
O suspeito confesso pode responder pelos crimes de estupro de vulnerável e tentativa de aborto (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Um lavrador de 55 anos foi preso na tarde desta sexta-feira (30) suspeito de estuprar a enteada de 12 anos em Montes Claros de Goiás, região Noroeste do estado. De acordo com a Polícia Civil (PC), durante os abusos o homem engravidou a adolescente e a abrigou a tomar chá abortivo.

O suspeito foi preso em casa, no Distrito Ponte Alta, na zona rural de Montes Claros. Durante a prisão, o lavrador confessou o crime e relatou que os abusos eram constantes.

“Ele relatou que quando a vítima tinha oito anos ele deu um beijo nela. Depois ele separou da mãe da adolescente, mas posteriormente eles reataram o relacionamento e os abusos continuaram”, explica o delegado responsável pelo caso, Ramon Queiroz Rodrigues e Silva.

Segundo o delegado, a adolescente passou mal na última quinta-feira (29) e foi levada para o hospital do município. Na unidade de saúde, o médico informou a mãe da menina que ela estava grávida e, durante uma conversa, a garota confessou que o pai era o padrasto.

“Assim que ela confessou que o padrasto cometia os abusos, a polícia e o conselho tutelar foram acionados e realizaram os procedimentos para dar andamento na prisão do suspeito. A mãe ficou surpresa com a confissão da filha e disse que nunca desconfiou dos abusos”, diz Ramon.

De acordo com delegado, durante o depoimento a vítima relatou que sofria ameaças do padastro caso ela contasse sobre os abusos sofridos. Segundo a garota, o homem falava que mataria a família da menina caso alguém descobrisse. A adolescente também relatou que o padrasto a ameaçou de morte para tomar um chá abortivo para que o ciclo menstrual voltasse ao normal.

O suspeito confesso foi preso e encaminhado para o presídio do município. Segundo o delegado, ele poderá responder por estupro de vulnerável e tentativa de aborto, cuja a pena somadas podem chegar a 20 anos de prisão.