Violência

Homem é morto a tiros após deixar bar no Setor Marista

Um esbarrão dentro do bar teria sido o motivo para o crime





//

Um homem foi morto a tiros após um desentendimento em um bar localizado na Alameda Dom Emanuel, no Setor Marista, em Goiânia, na madrugada deste domingo (23/11).

Segundo relatos de testemunhas ao MAIS GOIÁS, a vítima estava no bar e teria se desentendido com o autor do crime. Informação confirmada pelo irmão da vítima.

Segundo Diogo Dionísio da Silva, de 31 anos, o irmão estava na companhia de sua outra irmã – que relatou para ele –  que  Anor Pereira da Silva Filho, de 28 anos, teria se levantado para ir ao banheiro e  acabou esbarrado no autor do crime que não gostou. Os dois acabaram discutindo.

Após o desentendimento, Anor deixou o bar e se dirigiu para o seu carro, um Honda Civic preto. O suspeito também saiu do local, entrou no seu veículo, uma BWM 325i branca, e se dirigiu até onde o seu desafeto estava, na quadra seguinte ao bar. 

(Foto: Mais Goiás)O suspeito emparrelhou seu veículo ao lado do carro de Anor e fez vários disparos. Após o crime, o homem fugiu tomando rumo ignorado. Diogo acredita que o suspeito esperava pelo irmão na porta do bar, antes de cometer o crime.

Testemunhas relataram à Polícia Militar (PM), que ouviram os disparos de arma de fogo e deparam com a vítima caída no chão próximo ao bar sendo amparado por amigo. A vítima foi atingida por três tiros no rosto.

(Foto: Mais Goiás)O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e socorreu a vítima. Anor Filho foi encaminhado ao Hugo (Hospital de Urgências de Goiânia), mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

Diogo Dionísio contou ao MAIS GOIÁS que o irmão não conhecia o suspeito e muito menos tinham negócios ou rixas comerciais. Segundo ele, o irmão sempre foi uma pessoa boa, querida pelos amigos e sempre trabalharam juntos. 

A família informou ao MG que o seputalmento acontecerá às 9h da manhã desta segunda-feira (24/11) no Cemitério Parque Memorial. Anor Pereira da Silva Filho era casado e deixa dois filhos; uma garota, de 6 anos, e um menino, de apenas 2 anos. 

O caso é investigado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH).