Por um triz

Homem é livrado de tiro pela direção do carro, em Goiânia

Pintor estava com o filho de 14 anos, dentro do carro, quando se envolveu em uma discussão de trânsito, e foi atingido de raspão no peito: homem não registrou boletim na Polícia Civil


Jairo Menezes
Do Mais Goiás | Em: 06/06/2018 às 17:17:07

Tiro entrou por para-brisa e bateu na direção antes de bater de raspão no peito do homem (Foto: Arquivo Pessoal)
Tiro entrou por para-brisa e bateu na direção antes de bater de raspão no peito do homem (Foto: Arquivo Pessoal)

Era cerca de 21 horas quando o pintor de automóveis, de 35 anos, passava pela Rua C-136 do Jardim América, em Goiânia. No carro, com ele, estava o filho de 14 anos. Eles não imaginavam que uma discussão leve de trânsito fosse colocar o peito do motorista na linha direta de um tiro. Por sorte a bala bateu no volante do carro, e desviou a direção, passando só de raspão pelo corpo. O autor do atentado fugiu.

A polícia chegou até ser acionada, mas foi no local somente para orientar. Um Registro de Atendimento Integrado (Rai) foi aberto por Bombeiros e Polícia Militar, que chegaram a socorrer o homem, que se negou a ir ao hospital. A marca do tiro ficou no para-brisa e na direção do carro, além de ter ficado na memória. “Era um homem. Foi um tiro só, de revólver. Eu me lembro que a arma era escura, e que logo depois de dar o tiro ele fugiu”, conta o sobrevivente.

“O projétil ficou dentro do carro, e os policiais que foram atender a ocorrência ainda pegaram ele”, disse o homem. Incrédulo com punição, o homem resolveu não registrar ocorrência em uma delegacia, para que o suspeito seja encontrado e responsabilizado. Questionado se achava que não teria punição, se achava uma perda de tempo, disse somente que achava que era mais ou menos isso.

Bala bateu no volante, e quase atingiu motorista: impunidade levou à falta do registro de ocorrência em delegacia, diz vítima (Foto: Arquivo Pessoal)