Invasão

Homem detido ao tentar invadir Congresso já planejou esfaquear Bolsonaro

Aos gritos de "aqui é a casa do povo" homem detido atirou pontaletes de metal contra vidro da chapelaria, após ser impedido de entrar por seguranças


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 30/08/2019 às 09:14:53

Homem detido ao tentar invadir Congresso já planejou esfaquear Bolsonaro
Homem detido ao tentar invadir Congresso já planejou esfaquear Bolsonaro

Autor de vídeos com ameaças ao presidente Jair Bolsonaro, além de outros políticos como Lula, Ciro Gomes e Marco Feliciano, um homem prenome de Victor foi detido nesta quinta-feira (29), no Senado, após quebrar os vidros da entrada do Congresso e fazer ameaças verbais.

Ele usou uma barra de ferro para quebrar a porta e, em seguida, foi abordado por seguranças e resistiu. A Polícia Legislativa usou uma arma de choque para contê-lo.

O suspeito foi detido em flagrante por dano qualificado e resistência. Ele passou a tarde preso no Senado e, depois, foi encaminhado à carceragem da Polícia Civil do Distrito Federal. Segundo relatos, mesmo detido ele seguiu fazendo ameaças aos policiais.

Após o ato de vandalismo, acompanhado por gritos de “aqui é a casa do povo”, o sujeito teria tentado atingir os agentes da polícia parlamentar, que o imobilizaram com uma descarga de uma arma de choque, de acordo com a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), que estava no local no momento.

Os oficiais encaminharam o homem, que não teve a identidade revelada, para prestar depoimento. Ele pode responder por crime de dano ao patrimônio público.

O Senado divulgou a seguinte nota sobre o ocorrido:

“Na tarde desta quinta-feira (29/09), por volta das 14h, policias legislativos detiveram um homem que tentou invadir as dependências do Senado Federal. Após danificar o patrimônio público e voltar-se contra os policias, foi necessário o uso de equipamento não letal (taser), de acordo com a melhor doutrina de uso progressivo de força. Os procedimentos legais estão em andamento e ainda não há detalhes sobre o caso.”