Homícidio

Homem condenado em 2002 por matar esposa é preso em Goiânia

O crime foi em 1991. À época, a vítima tinha 21 anos. Desde a condenação, Gesmar estava foragido


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 09/10/2019 às 18:08:47

Foragido desde 2002, homem condenado por matar esposa é preso em Goiânia. (Foto: Reprodução)
Foragido desde 2002, homem condenado por matar esposa é preso em Goiânia. (Foto: Reprodução)

Um homem foi preso em Goiânia, na última terça-feira (8), pelo homicídio da esposa dele, em 1991. Gesmar Inácio Felipe Filho chegou a ser condenado, em 2002, a 15 anos de prisão pela morte de Rosenilda Alves de Souza. À época, a vítima tinha 21 anos. Desde a decisão judicial, ele estava foragido.

Segundo consta na denúncia do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), Rosenilda foi morta com um tiro, disparado pelo então companheiro, dentro da residência onde ela morava, no Jardim Nova Esperança, em Goiânia. Na denúncia, consta que a vítima era constantemente espancada pelo então marido.

O documento ainda informa que ela saiu para a casa da mãe e pediu para a empregada doméstica que trabalhava com o casal avisar a Gesmar que, quando chegasse, fosse buscá-la. Porém, o homem teria se irritado ao não ver a mulher em casa e foi até a casa da sogra munido de dois revólveres: um calibre 38 e outro calibre 32.

Ao chegar na casa da sogra, o homem já chegou apontando a arma para a vítima. Apesar de tudo, ela pensava que se tratava de uma brincadeira. A mãe de Rosenilda chegou a presenciar a cena e pediu para que Gesmar parasse. Contudo, ele colocou o revólver na boca da vítima e efetuou o disparo.

Ele ainda demorou a levá-la ao hospital: fez o resgate, mas no meio do trajeto alegou que o veículo teria ficado sem gasolina. Uma criança, que também estava no carro, pediu ajuda para um morador, que socorreu a mulher e a levou até um Cais na região de Campinas. Porém, Rosenilda já chegou sem vida.

Gesmar foi denunciado pelo MP-GO por homicídio por motivo fútil mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima. À época, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara acatou a caracterização do crime. Na sentença, o magistrado declarou que o comportamento do acusado “torna-o incompatível de estar em liberdade, representando risco para o convívio social, tendo a pena tanto repressivo como preventivo […].”

O mandado de prisão foi cumprido por volta das 10 horas de terça-feira (9). Ele foi encaminhado para Delegacia de Caputuras (Decap) da capital.